Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Educação amplia avaliação de alunos

Rossana Gasparini, Ascom|SEEDF

 

Durante dois dias, a rede pública de ensino do Distrito Federal realizou a aplicação da Prova Diagnóstica 2018. Em todo o Distrito Federal, cerca de 160 mil estudantes fizeram a Prova Diagnóstica nesta quarta (25) e quinta-feira (26). Trata-se de um sistema de avaliação permanente que auxilia as escolas a estabelecerem políticas públicas para a melhoria do ensino. O objetivo é obter informações que propiciem a formulação constante de estratégias e ações pedagógicas que contribuam para a efetiva aprendizagem dos estudantes sem que haja, em hipótese alguma, um ranqueamento individual.

 

Foto: Luis Tavares, Ascom|SEEDF

Na Escola Classe 01 do Itapuã, cerca de 550 estudantes do 2°, 3°, 4° e 5° anos do ensino fundamental fizeram a avaliação, que traz questões de português e matemática. A pequena Joyce Gabriele dos Santos, do 2º ano, fez o a Prova Diagnóstica pela primeira vez. “Foi legal, toda a turma fez a prova junto. Eu achei que não foi muito difícil”, conta.

 

A professora de atividades Devanice Braga dos Santos acredita que a Prova Diagnóstica é fundamental para que o trabalho pedagógico com os alunos seja modificado de acordo com a necessidade de cada um. “Como a avaliação é individual, conseguimos ter uma noção maior daqueles estudantes que têm mais dificuldade e dos que são melhores nos temas desenvolvidos”.

 

Na EC 01, os resultados anteriores da Prova Diagnóstica já estão sendo usados para nivelar melhor as turmas e até montar pequenos grupos de estudo dentro delas. “Para a escola, é uma ferramenta de avaliação que verifica se estamos no caminho certo. Para os alunos, é um autoestímulo a fim de que eles também melhorem. Em sala de aula, há um trabalho diversificado. A gente vê quem está mais adiantado e monta grupos com atividades diferenciadas de acordo com o nível de cada um”, relata a diretora da escola Sihami Jaber Mudarra.

Avaliação

A prioridade da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) é avaliar, anualmente, séries diferentes das que são diagnosticadas pelo Ministério da Educação (MEC). Assim, todas as séries podem ser avaliadas. A Prova Diagnóstica 2018 foi totalmente desenvolvida pela pasta, que construiu uma avaliação personalizada para o DF. O atendimento atingirá os 2º, 3º, 4º, 6º e 8º anos do ensino fundamental e todas as séries do ensino médio.

 

Este ano, a Prova Diagnóstica também está sendo aplicada para estudantes com baixa visão e para surdos, de forma adaptada. Para os estudantes surdos, por exemplo, a Prova Diagnóstica foi aplicada por video-prova, as quais foram gravadas pelos os professores da escola bilíngue da SEEDF.  Outra novidade é que 25 escolas tiveram aplicação online da Prova Diagnóstica.