Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/04/18 às 18h21 - Atualizado em 11/04/18 às 18h24

Educação financeira é ensinada em escola

COMPARTILHAR

Poupar, organizar e investir estão entre os conhecimentos passados para os estudantes e pais da região do Sobradinho dos Melos

 

João Gabriel Amador, Ascom/SEEDF

Luis Tavares, ASCOM/SEEDF

 

Um livro infantil foi a semente para o projeto de Educação Financeira envolvendo estudantes, pais e professores da Escola Classe Sobradinho dos Melos, na região rural do Paranoá.

 

Ao ganhar de presente a obra “O Lobo Milionário e os Três Porquinhos”, a diretora Cilene de Araújo percebeu que as lições de economia podiam fazer parte dos conteúdos ministrados na escola. “Essa cultura de poupar e investir ainda é pouco difundida em nosso país. Até nós educadores temos dificuldades em aplicar nosso dinheiro. Então achamos que seria uma boa ideia instigar boas práticas desde cedo”, explica.

 

Assim, com base em materiais desenvolvidos pela Associação de Educação Financeira do Brasil, todos os 258 estudantes da unidade passaram a trabalhar os conhecimentos em sala de aula.

 

Os alunos mais novos, da educação infantil, estudam a origem dos produtos consumidos em casa. O exemplo usado pela professora é a batata. Assim, os pequenos entendem como são produzidos os alimentos e como chegam até suas mesas.

 

Já os estudantes dos primeiros anos do ensino fundamental desenvolvem ideias como poupança, consumo consciente e investimentos. Para isso, utilizam até mesmo dinheiro fictício. “Ações positivas, como tarefas de casa, uso de uniforme e higiene geram pontos que podem ser trocados por ‘Dimelos’, nossa moeda da escola. A quantia, por sua vez, é usada para adquirir brinquedos, produtos diversos e comida em uma feira realizada na escola”, explica a diretora Cirlene.

Todos envolvidos

Com um ano de implementação, os professores da escola aprovam o projeto. “Conseguimos usar várias disciplinas na educação financeira, como ciências, história, matemática, português. Além disso, por se tratar de um conhecimento próximo do cotidiano, os alunos se mostram mais interessados”, afirma a educadora Andreia Gonçalves.

 

E as lições não se restringem aos estudantes. Os pais também foram incluídos. “Teremos uma festa da família em que vamos oferecer oficinas diversas, como de aproveitamento de alimentos, produção de sabão caseiro, palestras sobre gastos e até ajudaremos no planejamento para o pagamento de contas”, enumera a diretora.

 

Educação Financeira