Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/02/19 às 9h18 - Atualizado em 1/03/19 às 17h57

Estrutural e Sobradinho aprovam parceria com a PM

COMPARTILHAR

Da Redação Ascom/SEEDF,

 

Votação no CED 3 de Sobradinho. Foto: Divulgação

As comunidades escolares decidiram ontem à noite por ampla maioria que desejam a parceria entre a Educação e a Segurança. Amanhã o CED 7 de Ceilândia toma sua decisão.

 

As comunidades escolares dos CED 1 da Estrutural e CED 3 de Sobradinho aprovaram nesta terça-feira, 5, à noite, por ampla margem de votos, a parceria entre as secretarias de Educação e Segurança para a gestão compartilhada. Na quinta-feira passada, o CED 308 do Recanto das Emas já havia aprovado a mudança.

 

A comunidade do CED 7 de Ceilândia vai votar amanhã se também deseja a mudança. A escola tentou realizar a votação ontem, mas pessoas estranhas ao ambiente escolar tumultuaram a votação. A votação será durante o horário de funcionamento da unidade escolar.

 

Nesta quinta-feira a direção escolar vai fazer um controle efetivo para que participem do processo apenas quem tem direito a voto: Vão votar os alunos maiores de 18 anos, todos os pais ou responsáveis com filhos matriculados na escola (um voto por família), professores e servidores.

 

No CED 3 de Sobradinho, a comunidade, formada pelos eleitores com direito a voto, aprovou a parceria entre as secretarias de Educação e Segurança por 556 votos a 29. No CED 1 da Estrutural, a comunidade aprovou por 71 votos a favor, seis contra e três votos em branco. À tarde, durante o debate que precedeu a votação, mais de 100 pais e responsáveis aplaudiram a proposta do governo.

 

O único processo eleitoral regulamentado por Lei é o para eleição para a direção das escolas da rede (diretor e vice), realizado a cada três anos. O processo realizado nas escolas escolhidas para a gestão compartilhada ainda é informal. Foi feito por determinação do secretário de Educação, Rafael Parente.

 

O secretário estabeleceu que só continuarão no programa as escolas em que a própria comunidade assim decidir. Parente determinou que o projeto só seja implantado nas escolas que tiverem o apoio da comunidade escolar.

O assessor especial da Secretaria encarregado pelo projeto, Mauro Oliveira, informa que várias escolas desejam participar e, se houver mudanças, os critérios de escolha serão os mesmos que definiram essas quatro escolas (CED 308 do Recanto das Emas, CED 7 de Ceilândia, CED 1 da Estrutural e CED 3 de Sobradinho):

 

• Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), principal indicador da qualidade do ensino no Brasil;
• IDH, índice medido anualmente que tem como base indicadores de saúde, educação e renda;
• Mapa da violência local;
• E a estrutura das escolas.

 

As quatro escolas escolhidas para fazer parte do programa estão passando pelo mesmo processo de escolha. A primeira a dizer sim ao projeto foi o CED 308 do Recanto das Emas, na quarta-feira, 30/1. Pais e responsáveis fizeram um abaixo-assinado com 1.400 assinaturas em apoio ao projeto. A direção da escola e a maioria dos professores também apoiaram o projeto.

 

Nesta terça-feira à noite, o CED 3 de Sobradinho realizou a votação com a comunidade escolar. Na manhã de hoje, 50 professores da unidade escolar fizeram uma votação e 36 deles votaram sim à parceria. O CED 1 da Estrutural também fez sua votação nesta terça-feira.

 

PARCERIA – O custo estimado do convênio entre as secretarias de Segurança e Educação será de R$ 200 mil por escola, ao ano. A verba virá da Segurança, sem custo para a Secretaria de Educação.

 

As escolas de gestão compartilhada vão exigir mais disciplina dos alunos. Os uniformes serão diferentes, mas gratuitos. Os meninos terão que usar cabelos curtos e a meninas, coque. Cada escola vai receber de 20 a 25 militares. São PMs ou bombeiros da reserva ou que tenham restrição médica para estar nas ruas.

 

Professores, diretores e orientadores vão continuar cuidando da parte pedagógica. Os militares ficarão com as atividades burocráticas e de segurança, como controle de entrada e saída, horários, filas, além de dar aulas de musicalização e ética e cidadania no contraturno.