Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal

Estudantes do DF participam de mobilização nacional contra o zika vírus

Governador de Brasília e ministro da Saúde estiveram em uma escola da Octogonal nesta manhã para conversar com os alunos sobre o tema

 


 

Com informações da Agência

 

Cerca de 190 mil colégios de todo o País unem-se, nesta sexta-feira (19), no combate ao mosquito Aedes aegypti por meio da Mobilização Nacional da Educação Zika Zero. Em Brasília, nesta manhã, a ação contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg e do ministro da Saúde, Marcelo Castro, no Colégio Ciman, na Octogonal. A ideia é aproveitar a volta às aulas e incluir a comunidade escolar na prevenção contra o vetor.

O dia no Ciman começou com uma aula sobre o tema dada pelo ministro da Saúde, com espaço para perguntas dos alunos. Depois, alguns estudantes e as autoridades presentes fizeram uma rápida vistoria no local.

 

Segundo Rollemberg, as escolas públicas também terão a mobilização, assim que as aulas começarem — o início do ano letivo está marcado para 29 de fevereiro. “Tenho confiança muito grande na capacidade de engajamento das crianças e dos jovens. É importante que eles mobilizem pais e conhecidos para combater a reprodução do mosquito.” De acordo com o ministro Marcelo Castro, cerca de dois terços dos focos estão dentro das residências.

Pelo País

A iniciativa deverá envolver em torno de 60 milhões de estudantes, de 115 municípios, além do Distrito Federal, em um mutirão de orientações sobre como evitar a proliferação do mosquito que também transmite a dengue e as febres chikungunya e amarela. Os participantes desenvolverão ainda ações de combate em suas comunidades.

 

De acordo com o ministro da Saúde, estão envolvidos na luta contra o Aedes aegypti 55 mil militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, 46 mil agentes de combate às endemias e 266 mil agentes comunitários de saúde. “Esse trabalho tem de ser permanente e não pode ser interrompido, porque a capacidade de reprodução do mosquito é exponencial.” Castro adiantou que a ação desta sexta-feira deverá ocorrer uma vez por mês em todas as escolas do Brasil.

 

Ainda hoje, a Universidade de Brasília e instituições de ensino de Taguatinga e Samambaia também receberão visitas de autoridades para discutir o tema. Professores, diretores e reitores de universidades e de institutos federais participam da mobilização pelo Brasil.

Estiveram na solenidade o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Antonio Carlos Figueiredo; o secretário de Educação, Esporte e Lazer do DF, Júlio Gregório Filho; o reitor da Universidade de Brasília, Ivan Camargo; e o diretor do Ciman, Atef Aissami.