Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/18 às 19h27 - Atualizado em 30/10/18 às 14h09

Estudantes têm primeiro contato com o FMA

COMPARTILHAR

Mais de 750 crianças percorreram a Vila Cidadã e puderam aprender um pouco mais sobre a preservação da água

 

Rossana Gasparini, Ascom/SEEDF

 

Foto: Tiago Oliveira, Ascom/SEEDF

Durante todos os dias do 8º Fórum Mundial da Água, os estudantes da rede pública de ensino do Distrito Federal terão a oportunidade de visitar o local e conhecer os projetos de preservação da água que estão sendo expostos. Nesta segunda-feira (19), os pequeninos da Educação Infantil inauguraram o ciclo de visitações. Cerca de 750 crianças de 4 e 5 anos puderam conhecer a Vila Cidadã, um espaço reservado para a exposição de trabalhos relativos à captação de água de chuva, limpeza e preservação de rios e conservação de nascentes.

 

As crianças participaram de diversas atividades interativas, entre elas, uma pescaria, em que podiam retirar de um pequeno lago artificial dejetos como copos plásticos e garrafas pets. Para a professora do Centro de Ensino Infantil (CEI) 1 de Brazlândia Lidiane Ferreira Passos Vaz, nesta idade, os alunos são propagadores de tudo o que aprendem. “Eles se apropriam de todo o aprendizado e levam para as famílias. Por isso é tão importante mostrar para eles que a água deve ser economizada e bem utilizada”, disse.

 

Além das brincadeiras, os pequeninos receberam também dicas de como economizar água. Kamilly Nunes Silva, de 4 anos já sabe bem como fazer isso. “Tem que fechar a torneira quando for escovar os dentes”.

 

Preservação nas escolas

A Secretaria de Estado de Educação conta com um stand onde estão sendo expostos os trabalhos que estudantes têm realizados nas escolas para captar água de chuva e recuperar córregos. Nesta segunda (19), os participantes puderam conhecer um pouco mais dos trabalhos desenvolvidos no Centro Educacional (CED) Agrourbano Ipê, no Riacho Fundo e do Centro de Ensino Médio (CEM) Júlia Kubitschek, na Candangolândia.

 

A professora Maria Rosane Marques Barros, do CEM Júlia Kubitschek, conta que, na escola, os alunos estão trabalhando no reflorestamento das margens do Córrego Guará, que fica a 400 metros da escola. “O projeto começou em 2016. As mudas são cultivadas na escola e, este ano, plantamos cerca de 150 delas. Mas o mais importante é que nosso projeto foi além dos muros da escola, mobilizando toda a comunidade na preservação e limpeza do córrego Guará”, disse.

 

Cuidando do córrego, os estudantes do CEM Júlia Kubitschek estão ainda preservando uma espécie de peixe endêmica do Distrito Federal, o pirá-Brasília, que só existe aqui. A estudante do 2º ano do Ensino Médio Marcella Araújo Meirelles explicou um pouco sobre a importância da espécie para a região. “O Pirá-Brasília foi descoberto durante a construção da capital. Ao longo dos anos, ele quase entrou em extinção. Por isso, precisamos conservar nossos córregos, para que a espécie seja preservada”.

 

O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, visitou o 8º Fórum Mundial da Água nesta segunda (19) e ressaltou a importância de incentivar os estudantes a produzirem projetos de preservação do meio ambiente. “Educação sem meio ambiente não é educação. Por isso, este é um espaço ideal para conhecer e trocar experiências com relação à preservação da água”.

 

Espaço interativo

Nos próximos dias, os estudantes das escolas públicas do DF vão conhecer o espaço Green Nation, na Vila Cidadã. Lá, eles vão ter experiências interativas. Em um dos espaços, por meio de realidade virtual, é possível sobrevoar, dentro de uma aeronave, os rios do país e conhecer o caminho da água até as casas. Em outro ambiente, os participantes entram no fundo do mar, cheio de corais e tartarugas marinhas e ajudam a limpar a sujeira – plásticos e outros dejetos – que estão por lá, deixando o ambiente completamente limpo.

 

O 8º Fórum Mundial da Água está sendo realizado no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha e segue até o dia 23 de março.

Fórum Mundial da Água - 19-03-2018