Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/18 às 18h05 - Atualizado em 15/05/18 às 18h20

Exposição: opressão contra mulheres

COMPARTILHAR

Rossana Gasparini, Ascom | SEEDF

 

 

Que mulher nunca ouviu ou falou a seguinte frase enquanto cozinha alguma coisa: “Así que, ya te puedes casar!”. Em português seria “Já pode casar”. Parece apenas uma brincadeira, mas nem precisa traduzir para entender o real significado por trás da expressão, que tem relação com um mundo em que as mulheres teriam seu papel restrito a cuidar da casa, do marido e dos filhos.

 

Foto: Luis Tavares, Ascom | SEEDF

Por isso, para alertar os colegas e professores dos cursos de línguas do Centro Interescolar de Línguas (CIL) 02 e a sociedade em geral sobre a opressão e o preconceito que as mulheres sofrem diariamente, as estudantes do curso de espanhol idealizaram a exposição “Lo que sientem las mujeres”. Elas confeccionaram 18 cartazes que mostram como pequenos atos interferem no dia a dia das mulheres.

 

A estudante Maria Eduarda Hummel, de 23 anos, abordou, no cartaz que produziu, a diferença entre as perguntas que são feitas a homens e mulheres durante uma entrevista de emprego. “Para os homens, geralmente é perguntado se ele se considera líder, como ele poderia agregar a empresa, por exemplo e, para as mulheres, se elas tem filhos, se é casada, se pretender ser mãe. A gente se sente incomodada quando vê que o comportamento machista está impregnado nas relações”, conta.

 

O coordenador do curso de Espanhol do CIL 02, Deivison Carvalho, explicou que a ideia do projeto começou na sala dos professores, quando ele ouvia o relato de muitas professoras dizendo que os estudantes tinham menos respeito por elas em sala de aula se comparado aos professores. “Foi aí que demos início a uma série de atividades voltadas para o empoderamento feminino, na tentativa de mitigar essa grande diferença que existe entre os sexos”, disse.

 

Para o estudante de espanhol Eduardo Santos Feitosa, é necessário falar sobre a importância das mulheres para a sociedade. “Essa exposição é uma forma de elas mostrarem como realmente devem ser tratadas, sem preconceito ou discriminação. Além disso, eu que sou aluno do curso de espanhol, pude aprender novas palavras e expressões da língua”.

 

A exposição já passou pelo Instituto Cervantes e deve ficar em cartaz no CIL 02 até o dia 23 de maio. Depois, seguirá para a Regional de Ensino do Plano Piloto. Mikaella Lustosa Paiva, também estudante do curso de espanhol, falou sobre o respeito às mulheres. “O cartaz que mais me chamou a atenção foi o que possui a frase “Una cualidade que toda mujer debe tener es darse a respetar”, que foi riscada e substituída pela frase “Una cualidade que todo ser humano debe tener es respetar”, mostrando que todos devem se respeitar, sem discriminação e sem colocar a mulher como um objeto”, explicou.

 

 

Lo que sientem las mujeres