Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/09/20 às 22h27 - Atualizado em 16/09/20 às 13h46

Internet gratuita para estudantes e professores começa a ser liberada

COMPARTILHAR

Outra novidade é que o material impresso será entregue nas casas dos estudantes que não tiverem acesso à internet

 

Málcia Afonso, Ascom/SEEDF

 

Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A internet gratuita para acesso à plataforma Google Sala de Aula será liberada a partir desta quarta-feira, 16/9. No primeiro momento, poderão utilizar o serviço aqueles que possuem chip ativo das operadoras Tim e Claro. Ambas já se credenciaram por meio de chamamento público. A cobrança do serviço será reversa, ou seja, os usuários irão navegar por meio do aplicativo Escola em Casa DF e a Secretaria de Educação pagará a conta. A expectativa é que as demais operadoras façam o credenciamento nos próximos dias.

 

“Garantimos mais uma grande vitória e uma importante ferramenta para a nossa rede de ensino.  Estamos trabalhando duro para enfrentar esse que é o maior desafio da história da educação do Distrito Federal, proporcionar ensino de qualidade a todos. De forma remota, durante o período de suspensão das atividades presenciais”, afirmou o secretário de Educação, Leandro Cruz.

 

“Todo esse esforço é para, em conjunto com as equipes gestoras e as regionais de ensino, oferecer melhores condições de atuação aos nossos profissionais, acesso aos nossos estudantes a ferramentas tecnológicas e garantia de material impresso aqueles que não têm este acesso”, destacou o secretário Executivo, Fábio Sousa.

 

 

Aplicativo

 

Os pacotes de dados são exclusivamente para acesso à plataforma. Para isto, além de ter um dispositivo com chip ativo, basta baixar o aplicativo Escola em Casa DF, disponível para aparelhos Android e iOS.

 

No caso da Educação Infantil e dos anos iniciais, são os responsáveis por cada criança que poderão acessar a plataforma e baixar os materiais das aulas preparadas para os filhos ou estudantes pelos quais são responsáveis.

 

Mais de 470 mil estudantes e 72 mil profissionais da educação estão cadastrados na plataforma. Desde o primeiro dia do retorno do ano letivo, valendo frequência, de 13 de julho até o dia 14 de setembro, a plataforma teve 7,2 milhões de acessos de estudantes e 1,3 milhão de professores.

 

Material impresso

 

Outra importante iniciativa foi anunciada para assegurar educação gratuita e de qualidade para todos. Os estudantes que ainda não têm acesso contarão com um serviço de entrega e recolhimento de materiais impressos.  Até então, as famílias estavam indo às escolas para buscar os materiais e também para entregar as atividades realizadas.

 

As coordenações regionais de ensino foram autorizadas a utilizar recursos do Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (PDAF) para contratar empresas especializadas na prestação deste serviço.

 

Caberá às regionais de ensino organizarem a logística junto às escolas, que são as responsáveis pelo contato com as famílias.