Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/12/20 às 7h37 - Atualizado em 12/12/20 às 0h10

Muitas novidades no Ensino Médio em 2021

COMPARTILHAR

Novo Currículo em Movimento começa a ser aplicado na rede pública do DF e estudantes vão montar própria grade horária

 

Foto: Tony Oliveira/ Agência Brasília

 

Malcia Afonso

Edição: Ugo Braga

 

Os estudantes do ensino médio já não serão divididos entre 1ª, 2ª e 3ª séries, a partir de 2021. Em vez disso, estarão no primeiro, segundo, terceiro, até o sexto semestre, durante os três anos do curso. Como nas universidades, acumularão créditos a cada disciplina cursada. Parte dessas disciplinas é obrigatória e comum a todos. Mas parte será escolhida pelo estudante. Para se formar na rede pública do Distrito Federal, cada estudante terá que acumular 180 créditos ao longo dos seis semestres.

 

As novidades todas fazem parte do chamado Currículo em Movimento do Novo Ensino Médio, aprovado pelo Conselho de Educação do DF na última terça-feira (8). Ele será implantado paulatinamente. Em 2021, serão 12 escolas-piloto. Até 2022 será implantado gradualmente em todas as demais unidades públicas do DF onde há ensino médio.

 

“A implementação do Currículo em Movimento do Novo Ensino Médio é uma de nossas prioridades. Precisamos pensar no futuro de nossos jovens. Se antes nossos estudantes passavam por esta etapa como algo obrigatório, sem nenhum sentido, apenas para poder chegar à universidade, agora eles terão um propósito”, afirma o secretário de Educação, Leandro Cruz.

 

O secretário destaca ainda que os jovens poderão se aprofundar nas áreas que forem mais relevantes para seus projetos pessoais e obter uma formação de nível técnico, se assim desejarem. “Este modelo também irá contribuir significativamente para o combate à evasão escolar. Muitos acabavam desistindo por falta de perspectiva”, completou Leandro Cruz.

 

A parte comum a todos os estudantes – chamada de Formação Geral Básica – terá 1.700 horas. É formada por quatro grandes áreas, divididas em componentes, como mostra a tabela abaixo:

 

Área Componente
Linguagens e suas Tecnologias Português, Inglês, Arte, Educação Física
Matemática e suas Tecnologias Matemática
Ciências da Natureza e suas Tecnologias Biologia, Física, Química
Ciências Humanas e Sociais Aplicadas História, Geografia, Sociologia, Filosofia

 

A parte em que o estudante escolhe o que vai cursar – chamada de Itinerário Formativo –, se desdobrará em 1.300 horas. É também onde estarão as maiores novidades. O conteúdo a ser oferecido pelas escolas deverá se enquadrar em quatro tipos: Projeto de Vida, Língua Espanhola, Eletivas Orientadas e Trilhas de Aprendizagem.

 

Desde o primeiro semestre, os estudantes escolherão disciplinas Eletivas Orientadas. A partir do terceiro semestre, farão a opção por uma Trilha de Aprendizagem. No DF, Projeto de Vida e Língua Espanhola serão ofertados obrigatoriamente em todos os semestres do ensino médio.

 

MAS O QUE MUDA NA PRÁTICA, NA VIDA DO ESTUDANTE?

 

Bom, no modelo atual, ele recebe o conteúdo das quatro grandes áreas do conhecimento até o fim do curso. A grade horária é apresentada no primeiro dia em que ele chega à escola e é obrigado a segui-la.

 

A partir de agora, vai haver o conteúdo geral comum a todos, oferecido numa grade fixa. Mas isso só em parte da semana. Desde o primeiro semestre, ele poderá escolher disciplinas que reforcem a formação que quer e terá parte da grade horária montada por ele mesmo.

 

Por exemplo, se quer ser engenheiro ou mexer com computação, escolherá conteúdos nas áreas de matemática e ciências da natureza. Ao passo que um colega que queira ser advogado ou diplomata escolherá conteúdos nas áreas de linguagens e ciências humanas.

 

Já há mais de 200 disciplinas prontas para serem oferecidas aos estudantes do DF nessa parte dos Itinerários Formativos.

 

Além disso, há ainda a possibilidade de o estudante sair do ensino médio com o diploma de um curso técnico. Para isso, a rede pública vai oferecer cursos entre 800 e 1.200 horas. Ou seja, ele vai receber toda a Formação Geral Básica e mais o complemento da Educação Profissional e Tecnológica, se optar por isso.

 

Alguns desses cursos técnicos serão oferecidos em parceria com Senai e Senac – técnico em administração, técnico em informática, assistente administrativo e técnico em manutenção automotiva. Já o Centro de Educação Profissional Articulado do Guará (Cepag), que pertence à rede pública, vai oferecer o curso de computação gráfica.

 

TRAJETÓRIA

 

Até chegar à versão final, o documento passou por duas consultas públicas e teve contribuições de estudantes, de gestores, de professores, de setores da sociedade civil, de representantes da Universidade de Brasília (UnB), de instituições de ensino superior privadas e do Instituto Federal de Brasília (IFB), entre outros.

O Ensino Médio no DF conta com 82 mil estudantes matriculados em 91 escolas.

 

ESCOLAS-PILOTO
Já fizeram a implementação completa
CED 03 do Guará
CEM 804 do Recanto das Emas
CEM 03 de Taguatinga
CED 04 de Sobradinho
CEMI Gama
Estão em fase de implementação
CED 123 de Samambaia
CEM 3 do Gama
CEM 12 de Ceilândia
CEM 304 de Samambaia
CEM 404 de Santa Maria
CED São Francisco (São Sebastião)
CEM 01 de Sobradinho