Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/04/20 às 16h30 - Atualizado em 23/04/20 às 17h56

Plano vai oferecer volta às aulas gradual e segura

COMPARTILHAR

Em live no Facebook, secretário falou sobre o plano e garantiu que não haverá prejuízo a ninguém

 

Málcia Afonso, Ascom/SEEDF

 

Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

O secretário de Educação, João Pedro Ferraz, participou de live pelo Facebook, nesta quarta-feira (22/4). A transmissão teve o objetivo de esclarecer sobre o uso da plataforma Google Sala de Aula, que entrou no ar também nesta quarta-feira. O assessor de Relações Institucionais da SEEDF, Gerson Vicente de Paula Júnior, também participou.

 

Ferraz aproveitou a oportunidade para falar de temas que preocupam a comunidade escolar e a sociedade como um todo, principalmente o plano de volta as aulas, solicitado pelo governador Ibaneis Rocha, o calendário escolar, o uso de novas tecnologias, o acesso à internet pelos estudantes e o futuro da educação pós pandemia.

 

Ele adiantou que as aulas pela televisão e as atividades via plataforma não contarão como horas aula, porque há estudantes que não têm acesso e é preciso garantir a isonomia. O secretário buscou deixar uma mensagem de tranquilidade a todos e assegurou que nenhuma decisão será tomada de forma precipitada. A prioridade é a saúde de estudantes, de professores e de todos os demais.

 

Leia os principais pontos da live:

 

📚É injusto contar dia letivo se programa não chegar a todos

 

Nós gostaríamos muito que as aulas na TV e na plataforma pudessem ser computadas como dias letivos, como horas aula, mas não podemos fazer isso para não criar uma injustiça. Por mais que tenhamos feito o maior esforço dentro da Secretaria para produzir esses conteúdos, sabemos que não conseguimos atingir a todos. E se não atingirmos a todos de uma forma igual, será uma discriminação para aquele que tem uma dificuldade de acesso à plataforma, à internet, que não tem equipamento. Então, realmente, nós não pretendemos fazer com que essas atividades sejam consideradas como horas aula.

 

📚Objetivo é manter o vínculo com a escola

 

Não dá pra controlar a frequência de uma forma rigorosa. Se estabelecermos que isto [TV e plataforma] vale como conteúdo, nota, presença, se não houver certeza absoluta de que foram atingidos 100% dos alunos, nós não estaríamos dando a eles o tratamento isonômico que merecem. Nosso grande objetivo é mantermos os nossos alunos conectados com a Secretaria de Educação, com os professores, com a rede de educação, tanto pela televisão, quanto pela plataforma, para que saibam que nós estamos aqui trabalhando por eles, pensando neles todos os dias.

 

📚Ano letivo 2020 será concluído até o fim do ano

 

Quero dizer aos estudantes que não se preocupem. Nós vamos conseguir cumprir o calendário, porque tivemos uma medida federal [que permite a flexibilização dos 200 dias letivos e mantém as 800 horas de carga horária anual]. Mas a Secretaria já tem no seu calendário mil horas [para a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio]. Se nós ficarmos dentro desta previsão de suspensão até o final de maio ou meados de junho, ainda assim, conseguiremos cumprir o calendário [de acordo com a norma federal, de 800 horas], desde que façamos algumas adaptações.

 

📚Aulas presenciais

 

A Secretaria vai cumprir a carga horária. Nós vamos colocar os conteúdos na forma normal, presencial, para todos os alunos, se mantivermos a nossa previsão de uma suspensão de aulas até maio, talvez um pouco mais.

 

📚Conteúdos a distância

 

Nós não estávamos preparados e nem esperávamos que tivéssemos que desempenhar esta tarefa. Estamos em um momento em que tudo é novo. Então, apelamos para os professores e muitos se colocaram à nossa disposição como voluntários. Alguns já têm expertise, trabalham nas suas plataformas, têm uma prática de ensino a distância. Muitos deles vieram como voluntários e a escola de formação, a EAPE, é que está conduzindo esse trabalho quanto à criação de conteúdos pedagógicos.

 

📚Acesso à internet

 

Se eu tiver um aluno fora da sala de aula, fora do sistema, já é argumento suficiente para dizer “olha, se não vale para todos, não vale para ninguém”. Essa é a nossa preocupação. Nós vamos trabalhar para que, no futuro, todos os alunos tenham acesso à internet, e aí sim, nós vamos validar conteúdos, frequência, calendário. Com certeza, com este aprendizado, o nosso caminho agora é esse.

 

📚Distribuição de materiais impressos

 

Se for necessário, faremos a distribuição de material impresso. Mas eu gostaria de dizer aos nossos alunos que, talvez, graças a Deus, não iremos precisar. Se nós começarmos as nossas aulas como está previsto no decreto, nós vamos cumprir o calendário, sem nenhum prejuízo. Tudo será resolvido depois que nós superarmos as dificuldades maiores, que são com a saúde.

 

📚Tecnologia x futuro da educação

 

Nós temos aquela educação tradicional, o professor em sala de aula, o contato com o aluno. Isso não vai acabar nunca, porque há necessidade dessa interação, dessa troca de experiência, troca de afetividade. Por mais desenvolvidas que sejam as tecnologias de outros países, isso ainda continua. Mas quanto ao desenvolvimento do ensino a distância, eu não tenho a menor dúvida de que nós vamos ter um ensino antes da pandemia e depois da pandemia. E, aí, claro, os professores também vão ter de se preparar, reinventar. Não é só com giz, não é só com quadro que se ensina. Nós vamos ter que começar também a manipular outros tipos de tecnologia, quem sabe algumas plataformas até mais avançadas do que esta que estamos usando. O aprendizado vai ser constante, não podemos ficar paralisados numa única forma de educar. Já que começamos, não vamos parar.

 

📚Um grande aprendizado para todos

 

Tudo isto que nós estamos fazendo está sendo um grande aprendizado. Fizemos isso pressionados por uma situação, por uma pandemia, nada programado. Mas tem que ficar absolutamente claro que tivemos um comportamento na escola, na rede de educação, antes da pandemia e teremos outro depois da pandemia. Então, depois da pandemia, nós teremos de nos adaptar às novas formas, às novas regras, que são regras inclusive de comportamento na escola, de higiene, de como se relacionar com os colegas e, além de tudo, novas regras para o ensino. Talvez tenhamos de aprimorar metodologias, porque não sabemos se teremos de fazer outras paralisações ao longo do tempo.

 

Nesse período em que os alunos estão reclusos nas suas residências, sem aquelas atividades que desenvolvem normalmente, tendo um conteúdo e o contato com a Secretaria de Educação, já é um alento. É um serviço que certamente vai fazer a diferença na vida deles.

 

📚Retomada das aulas x logística

 

O governador determinou que nós, em um prazo de dez dias [a contar de 22 de abril], apresentássemos a ele o nosso plano para a retomada de aulas. Tudo está sendo planejado, como a retomada do comércio e de outras atividades.

 

Nós temos que também planejar nossa retomada, porque a educação, no Distrito Federal, como em qualquer outra cidade, representa, pelo menos, 50% da movimentação. Basta olhar o que acontece quando estamos em férias, quando as escolas estão fechadas, e olhar para a cidade quando as escolas estão funcionando, tanto públicas quanto particulares. O movimento dobra.

 

Se o isolamento tem a capacidade de reduzir o contato com as pessoas, então, a paralisação da escola é fundamental.

 

Para que as escolas possam retornar, precisamos de uma escola em condições de receber os alunos, em que eles possam fazer a higiene das suas mãos quando entrarem, então, necessitamos de lavatórios para todos os alunos [na entrada]. Os alunos devem ficar numa distância adequada, que é o recomendado, e temos algumas escolas que estão com uma lotação um pouco maior do que o normal, teremos de dar um jeito de espaçar um pouco mais. Precisamos ter uma higienização nas escolas, pelo menos, semanal. São necessários termômetros para quando, eventualmente, tiver um aluno com suspeita de febre, de algum sintoma, podermos retirá-lo de sala. Precisamos de máscaras para todos esses alunos e professores. Também é necessária a higienização dos ônibus que transportam nossos alunos.

 

📚Retomada das aulas x ensino médio

 

Vamos começar pelas escolas de ensino médio, onde temos todos os alunos adolescentes, que têm melhores condições de atender às normas, que já têm perfeita compreensão de qual comportamento devem ter.

 

📚Retomada das aulas x professores

 

Ainda temos que fazer a seleção de professores, porque temos aqueles que não poderão estar em sala de aula por estarem no grupo de risco, seja pela idade ou por alguma comorbidade. Eles terão que se afastar e teremos que ter professores que os substituam. Como não vamos voltar com toda a educação ao mesmo tempo, podemos, com certeza e com segurança, substituí-los até que tudo se normalize.

 

📚Retomada das aulas – entrega do plano ao governador

 

Quando tivermos tudo planejado, vamos colocar na mão do governador e aí ele vai ter elementos para ouvir a Secretaria de Saúde e decidir quando é que as escolas retornam. Esperamos que seja o mais rápido possível.

 

A mesma preocupação que o governador Ibaneis teve quando encerrou as atividades de aulas, de comércio, no Distrito Federal, para a segurança da população, ele, com esta mesma segurança, com esta mesma tranquilidade, com esta mesma responsabilidade, vai também retornar as atividades. Então, não se preocupem. Tudo está sendo feito, pensado, estudado, consultadas as autoridades de saúde. Nenhuma decisão será precipitada.

 

📚Mensagem

 

Peço desculpas por não podermos entregar aquilo que gostaríamos aos nossos alunos, mas, infelizmente, temos limitações.

 

Deixo a todos os estudantes, professores e servidores a garantia de que não haverá prejuízo. Não haverá prejuízo de conteúdo. Não haverá prejuízo de tempo. Não haverá prejuízo de calendário. A Secretaria de Educação vai sair de cabeça erguida desta pandemia. Nós gostaríamos de, no próximo ano, estar, inclusive, festejando essa nova travessia com todos vocês.

 

Assista a live →