Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/10/19 às 13h51 - Atualizado em 29/10/19 às 13h51

Projeto de Literatura resgata a magia do livro

COMPARTILHAR

Iniciativa promove novas versões de clássicos da literatura infantil

 

Aldenora Moraes, Ascom/SEEDF

 

Professora Dayane Angelo e os alunos do 4º ano: nova geração de leitores. Foto divulgação

 

No alto da escada principal da Escola Classe (EC) 02 do Riacho Fundo I, Cinderela ou a estudante Yasmin Rodrigues, do 4º ano, descia a escadaria à procura do príncipe. A cena poderia parecer inusitada, mas na unidade escolar os alunos estão acostumados a se depararem com personagens das histórias infantis andando livremente pelos corredores.

 

A cena fazia parte do ensaio de uma das turmas do 4º ano que davam os últimos retoques para a apresentação da obra “Cinderela” no pátio da escola. “Nosso projeto de literatura sugere que os estudantes escolham uma história e recontem da maneira que desejar por meio de uma dramatização, música ou desenho. O interessante é que novas perspectivas surgem, as princesas, por exemplo, ressurgem totalmente empoderadas. Muitas histórias são contadas com um enfoque contemporâneo”, explica a professora do 4º ano, Dayane Angelo.

 

Filha de pais que incentivaram a leitura em casa desde cedo e tendo como personagem preferido o inglês Sherlock Holmes, de Conan Doyle, a professora de Atividades reconhece o desafio em competir com jogos eletrônicos, tablets e celulares. “Em princípio é muito difícil porque estamos em um mundo tecnológico, mas recontar as histórias incentiva o contato com o livro impresso e a leitura” comemora Dayane.

 

Princesas empoderadas

 

A estudante Yasmin Rodrigues comemora a maneira lúdica de aprender Literatura. “Passamos a gostar dos livros, desenvolvemos a leitura. Muitos colegas vencem a timidez para participar das apresentações que são feitas para nossos colegas e para outras turmas”, conta a desenvolta Yasmin.

 

Pensamento crítico para questionar o enredo de contos clássicos, oralidade, expressão e compreensão dos textos e construção de figurino são apenas algumas das habilidades desenvolvidas pelos participantes da proposta, segundo as docentes. Os resultados do projeto já têm sido comemorados na unidade escolar e ampliaram o público dos cerca de 80 artistas mirins. Antes eles apresentavam para as turmas próximas, agora vão se apresentar para os estudantes mais novos.

Leia também...