Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/04/19 às 17h51 - Atualizado em 10/04/19 às 9h12

Protagonismo infantil é debatido na SEEDF

COMPARTILHAR

Guilherme Marinho, Ascom/SEEDF, 


Primeiro dia de formação continuada marcou o lançamento oficial da VII Plenarinha

 

A abertura oficial da VII Plenarinha aconteceu nesta terça-feira (9). Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

Esta terça-feira (9) marcou a abertura oficial da VII Plenarinha da Educação Infantil, o lançamento do caderno guia do projeto e o primeiro dia de formação continuada voltada aos profissionais de ensino que atuam com os pequeninos. Cerca de mil pessoas participaram do evento, pela manhã e à tarde, no Instituto Serzedello Corrêa. Mais três encontros irão acontecer em 16, 17 e 18 de abril, levando a experiência à quase quatro mil educadores.

 

Jackeline fala sobre “tias” motivadoras. Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

A Plenarinha é um projeto pedagógico que visa fortalecer o protagonismo infantil nas unidades de ensino públicas do DF e nas instituições parceiras que ofertam a educação infantil e o 1º ano de ensino fundamental. Jackeline Aguiar, subsecretária de Educação Básica da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF), conversou com a plateia de educadores e lembrou de duas professoras que ela teve quando ainda era menina, no jardim de infância. Segundo Jackeline, as “tias” Marlene e Eni foram grandes motivadoras. “Às vezes é difícil a gente entender a importância da educação infantil. A gente só entende quando olha para si mesmo e pensa: ‘tudo que eu sou, eu devo à tia Marlene e à tia Eni, que me inspiraram’”, afirmou. “Cada um dos professores e a escola têm o poder de mudar vidas”, completou Jackeline.

 

Os mestres de cerimônias e professores do Centro de Aperfeiçoamento dos Profissionais de Educação (Eape) Christofer Sabino e Luciana Ribeiro apresentaram um conto para dar o tom do evento. Usando roupas coloridas e maquiagem de palhaçaria, a dupla hipnotizou os presentes com a história Ana, Guto e o gato dançante. Nada mais apropriado, uma vez que o tema deste ano é “Brincando e encantando com Histórias”.

 

Para Andreia Martinez é importante que as crianças participem do processo pedagógico. Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

O objetivo da proposta é promover a aproximação e o envolvimento das crianças com o mundo das histórias de modo que elas possam conhecer, ouvir, sentir, contar, imaginar e criar suas próprias fábulas, por meio de brincadeiras e vivências. A diretora de Ensino Infantil da SEEDF, Andreia Martinez, explicou que, para promover o protagonismo infantil, é necessário atuar em diversas frentes. “Criar mecanismos, estratégias e ambientes, além de pensar a organização do trabalho pedagógico para a que a criança seja ouvida, onde seus interesses e necessidades sejam considerados nesse processo educativo”, salientou Andreia.

 

Sensibilidade

 

Luciana Hartmann, professora do Departamento de Artes da Universidade de Brasília (UnB), é educadora há mais de 30 anos e desenvolve pesquisas antropológicas, artísticas e pedagógicas há 20 anos. A professora percorreu escolas no DF, França, Uruguai, Espanha e, até o final do ano, irá a Portugal, em busca de “causos”, contos e fábulas.

 

Andreia Martinez e Luciana Hartmann discutem o protagonismo infantil. Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

Inicialmente, o foco da professora eram os idosos, mas, aos poucos, passou a ser os pequenos. “A questão do protagonismo infantil é importantíssima. É bacana entender que a Secretaria de Educação do DF e a Diretoria de Educação Infantil da pasta foram sensíveis a isso. Representa uma mudança de paradigma, no qual não se olha a criança apenas como um depositário de saber, mas como alguém que já tem saberes”, analisou Luciana.

Segundo a professora e pesquisadora, essa relação se dá com a escuta do que as crianças têm a dizer. “Você abre espaço para a criança falar e se manifestar, ou demonstrar desejo. O protagonismo é deixar que ela tome a frente nas ações, no processo pedagógico, por exemplo”, finalizou.

 

Encontros

 

O evento é voltado a professores e coordenadores pedagógicos locais das unidades escolares públicas e instituições educacionais parceiras do DF, além de coordenadores intermediários e gestores pedagógicos de todas as Coordenações Regionais de Ensino, totalizando quatro mil participantes nos quatro dias de formação. O primeiro dia foi nesta terça-feira (9). Além de Jackeline Aguiar, participaram da mesa de abertura o diretor da Eape, André Lúcio Bento, e o diretor institucional do Instituto Serzedello Corrêa, André Anderson,. Os próximos encontros serão em 16, 17 e 18 de abril.

 

Em agosto, haverá as plenárias locais. No mês seguinte, será a vez da etapa regional. Em outubro, a distrital. Já em novembro, será feita a avaliação da VII Plenarinha da Educação Infantil.

Dia de Formação de Educação Infantil- VII Plenarinha