Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/12/21 às 11h13 - Atualizado em 16/12/21 às 8h51

Cãoterapia contra a ansiedade na escola

Mascote ajuda estudantes a vencerem tensões no CED 8 do Gama

Thaís Rohrer, Ascom/SEEDF

 

O cão é o melhor amigo do estudante no Centro Educacional 8 do Gama. Nina, uma cachorra de 5 meses de idade, começou a frequentar a escola com a missão de ajudar os estudantes a vencer crises de ansiedade, deixar o ambiente mais alegre, proporcionar momentos de relaxamento e união entre os colegas. É a grande estrela do projeto Cãoterapia.

 

O CED 8 trabalha ativamente com ações ligadas à saúde mental dos estudantes desde 2019. A unidade começou com sessões em grupo para atendimento psicológico para alunos e pais, em parceria com uma faculdade particular do Gama.

 

Após o período de pandemia, situações de estresse, isolamento e ansiedade ficaram recorrentes entre os estudantes da escola. A diretora do CED 8 teve, então, a ideia de utilizar a terapia facilitada por cães.

 

Depois da volta presencial, nós percebemos que os estudantes estavam muito debilitados mentalmente. Eu ficava horas e horas conversando com eles nesses corredores da escola. A partir daí, eu e colegas estudamos muito e tive a ideia de trazer o animal como uma estratégia para auxiliar os estudantes nesses momentos de crise de ansiedade”, conta Eufrázia de Souza, diretora da escola.

 

Nina é conhecida como a nova integrante da família do CED 8 e já começa a mostrar que é um símbolo de esperança e recomeços. A estudante Débora Frazão relembra como foi a volta presencial das aulas e como está o ambiente após a chegada da companheira de quatro patas. “Chegamos aqui muito desanimados. Parecia que a gente não conhecia mais ninguém. O pessoal da escola percebeu que estávamos muito tristes e ficaram preocupados. Começaram a colocar vários cartazes de incentivo nos murais da escola e a Nina veio para deixar a gente muito mais tranquilo e unido. Eu estava muito triste e quando vi a Nina, parece que fiquei outra. Me senti mais animada e concentrada para aula. Foi uma surpresa maravilhosa!”, destaca Débora, que está no 3º ano do ensino médio.

 

Nina e a estudante Débora juntas contra a ansiedade. Foto: André Amendoeira, Ascom/SEEDF

 

Inicialmente, o projeto havia sido pensado para atender estudantes com autismo e deficiência intelectual. Mas a direção da escola percebeu que o Cãoterapia seria interessante para todo o grupo da unidade. “A sociedade viveu períodos de perda, choro e tristezas imensas. Aqui na escola não foi diferente. Recebemos muitos estudantes assim e a Nina foi uma forma de trazer uma nova forma de trabalhar sentimentos como ternura, amizade, companheirismo”, afirma Eufrázia.

 

Eu gosto da Nina. Ela me anima e me acalma”, completa Vitória Aline, estudante do CED 8, que tem deficiência intelectual. A aluna tem o contato com Nina auxiliado pela diretora da unidade.

 

Estudante Vitória Aline a diretora Eufrázia confirmam o sucesso do Projeto Cãoterapia. Foto: André Amendoeira, Ascom/SEEDF

 

Trabalho multidisplinar

 

A chegada da cadelinha na escola não se resume apenas à questão ligada à saúde mental. O CED 8 do Gama, que atende 1.280 estudantes do 9º no ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, já começou a trabalhar outros temas por meio da chegada da amiga de quatro patas.

 

A primeira casa da cachorra foi construída pelos alunos com materiais recicláveis. Os professores puderam trabalhar sustentabilidade, ciência, cidadania, entre outros.

 

Para 2022, os planos para o projeto Cãoterapia seguem a todo vapor. A escola vai continuar com as ações que já estão sendo desenvolvidas com os jovens e estudam ampliar o projeto para ações nas casas dos estudantes nos fins de semana.

 

A direção do CED 8 também apresentou o projeto para outras unidades da rede púbica no Gama com intuito de propagar a iniciativa.

 

Cãoterapia

Governo do Distrito Federal