Governo do Distrito Federal
3/05/22 às 8h13 - Atualizado em 6/10/22 às 18h47

Conscientização eleitoral e urna vão até estudantes do Gama

Iniciativa do TSE levou a 300 adolescentes de 16 e 17 anos conhecimentos sobre o sistema de votação e sobre a segurança do equipamento eletrônico

Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

 

A urna eletrônica estava no centro das atenções dos estudantes, que viram que o funcionamento do equipamento é seguro | Fotos: Renato Araújo / Agência Brasília

 

Alunos do Centro de Ensino Médio 2 do Gama (CEM 2) foram os primeiros do País a conhecer uma urna eletrônica por dentro e sentir o ‘gostinho’ de como funciona o processo eleitoral. Em uma iniciativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 300 estudantes tiveram seu primeiro contato com a urna, nesta segunda-feira (2), viram como ela funciona e assistiram a uma palestra sobre as funcionalidades do equipamento. Com idades entre 16 e 17 anos, votar já é permitido a esses brasilienses, mas não obrigatório perante a lei.

 

A votação em outubro já é uma pauta debatida na escola desde o início do ano. Alunas de uma turma do 3º ano criaram um grupo para difundir no CEM 2 a importância de exercer a cidadania e não perder os prazos para participar. Elas passam de sala em sala e também se comunicam via aplicativos. Uma delas é Letícia Gomes, 17 anos, que emitiu seu título pela internet em fevereiro.

 

Meus pais não gostam de política e não me incentivaram. Mas decidi tirar o documento após o assunto chegar aqui na escola. Acho importante a gente participar e tentar garantir o futuro do país”, disse a moça, que exibia contente seu título em formato digital. Guilherme Kissinger, 17, aluno do 2º ano, mora em Santa Maria e decidiu hoje fazer seu cadastro eleitoral. Gostou de ver os itens de segurança e a tecnologia da urna, que inclusive foi desmontada por técnicos do tribunal.

 

Foi uma iniciativa bem legal a gente poder ver que a urna é bem segura. E conscientizar o pessoal sobre o voto. Tenho um monte de colegas que nem se interessavam, nem sabiam que havia um prazo para se alistar”, contou Guilherme. O prazo termina agora em maio e, de acordo com números do tribunal, já foram emitidos 290.783 títulos na faixa etária entre 15 e 17 anos até o início de abril. Para votar, o jovem deve completar 16 até a data do primeiro turno da eleição de 2022.

 

É um tema que está na nossa grade pedagógica, que os professores já falam em sala de aula. Mas, sem dúvida, esse contato visual, essa aula sobre como é feita a votação, é um grande estímulo para eles se tornarem eleitores, exercerem a cidadania”, pontuou o diretor da escola, Lindomar Ramos.

 

Estratégia contra as fake news

 

O projeto piloto do TSE está sendo testado, mas o objetivo é levá-lo para outras escolas e também espaços públicos do DF. E, segundo o coordenador de tecnologia do tribunal, Rafael Azevedo, também combater a desinformação. “As pessoas ficam muito desmotivadas em votar por conta das fake news, histórias de que a urna não é confiável”, lembra. “Então, aqui demonstramos que o código-fonte é sempre aberto, que a urna não precisa ser vigiada para ser segura e outros itens de segurança que são importantes para conhecimentos desses futuros eleitores”, finaliza Azevedo.

 

Conscientização eleitoral e urna vão até estudantes do Gama

Governo do Distrito Federal