Governo do Distrito Federal
31/10/22 às 13h25 - Atualizado em 31/10/22 às 13h31

Estudantes e professores da rede pública participam da 5ª Bienal do Livro

Escolas puderam adquirir obras na quinta edição da feira, que se encerra nesta segunda-feira (31)

*Camily Oliveira, Ascom/SEEDF

 

Bienal do Livro recebeu a visita de estudantes ao longo da última semana | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A 5ª edição da Bienal Internacional do Livro de Brasília (Bilb) termina nesta segunda-feira (31) e foi marcada pela visita de estudantes e professores da rede pública de ensino do Distrito Federal ao evento. Na feira, realizada no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, os gestores das unidades escolares do DF puderam adquirir obras por meio de um cartão de compra destinado para aquisição de obras literárias para o acervo das bibliotecas escolares.

 

Durante visita ao evento, a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, lembrou da importância da Bienal para a rede pública. “É um evento de extrema importância onde podemos proporcionar e implementar a leitura e literatura no dia a dia de nossos alunos. A Bienal do Livro possibilita aos estudantes da nossa rede escolherem o livro que querem ler, em cada etapa de ensino”, destaca.

 

A pedagoga Cristiane Calçado esteve na maior feira de literatura do Centro-Oeste e aproveitou para comprar livros para o acervo bibliográfico da Escola Classe 12 do Gama. Ela explicou como os títulos foram selecionados. “Escolhemos livros com enfoque nas temáticas sociais que são trabalhadas durante o ano letivo como violência, educação financeira, cultura de paz, a valorização da vida, consciência negra, cultura indígena e inclusão de alunos com transtornos”, esclarece.

 

A docente trabalha com alunos com transtorno do espectro autista (TEA) e falou sobre como os livros têm ajudado as crianças no processo de aprendizagem após o período pandêmico. “Meus alunos gostam de ler e este é um hábito que nós temos que desenvolver nas crianças, principalmente nesse período após a pandemia, pois os alunos ficaram imersos no mundo virtual e muito tempo expostos as telas”, destaca Cristiane.

 

A professora Cristiane participou da escolha dos livros para os alunos | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

Ainda de acordo com a professora, os estudantes que estão na fase de alfabetização precisam de leitura para estimular algumas das habilidades pedagógicas. “Na primeira infância, por exemplo, com a leitura, o vocabulário da criança é ampliado com palavras novas que, às vezes, no núcleo familiar não são utilizadas.”

 

Aos 13 anos, Vinícius da Silva Ferreira, estudante do Centro de Ensino Fundamental 20 de Ceilândia, visitou o evento, que só reforçou a paixão pela leitura. “Alguns livros ensinam lições que a gente leva para o resto da vida, como o livro do Frankenstein. Nele, o Frankenstein queria um amor, mas as pessoas o julgavam pela aparência. No entanto, ele não era bonito por fora, mas sim por dentro, tinha um coração bom e muito a oferecer”, ressalta o estudante.

 

Sobre a Bienal

 

A 5ª edição da Bienal do Livro possui 100 expositores com a exibição de 400 mil títulos. Para ter acesso ao evento, o público precisa retirar o ingresso eletrônico no site oficial da bienal. No evento, os visitantes podem participar de palestras, debates, masterclass, lançamento de livros e noite de autógrafos com a presença dos maiores autores internacionais, nacionais e locais.

 

A Bilb é realizada em uma área de 5 mil metros quadrados no Pavilhão do Parque da Cidade e representantes de livrarias, distribuidoras e editoras de todo o país estão entre os expositores. Nesta edição, o evento homenageia a escritora brasileira Miriam Alves, assistente social com quatro décadas de literatura, e a mexicana Laura Esquivel, roteirista e escritora do Como água para chocolate, livro que já foi traduzido em 35 línguas e adaptado ao cinema.

 

A secretária de Educação do DF visitou alguns estandes na Bienal | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

*Estagiária sob a supervisão de Gizella Rodrigues

Governo do Distrito Federal