Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/06/20 às 17h33 - Atualizado em 21/06/20 às 11h43

Começa contagem regressiva para início do ensino mediado

Mais de 500 mil estudantes e servidores fazem um esforço final para estarem aptos a usufruírem das aulas mediadas a partir do dia 29

 

Rossana Gasparini, Ascom/SEEDF
Edição: João Alberto Ferreira, Ascom/SEEDF

 

Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A Secretaria de Educação está em contagem regressiva para a retomada do ano letivo 2020, no próximo dia 29/6. Somente nas duas últimas semanas, criou 73.660 turmas virtuais, realizou 1,46 milhão de enturmações no Escola em Casa DF e hoje (17/06) enviou circular instruindo todas as áreas sobre o uso da plataforma Google Sala de Aula. A medida faz parte de um checklist final para que as 700 escolas da rede recebam, já na semana que vem, de 22 a 26/6, ainda sem registro de presença, 460 mil estudantes para uma ambientação e orientação sobre as modalidades de aulas mediadas e aprendizado sobre a opção pela Internet. O contrato com as operadoras para a cobrança reversa está previsto para fechar até o dia 1º de julho, no máximo.

 

O cronômetro começou a correr já na primeira semana de aulas suspensas: entre o primeiro dia da suspensão, em 12 de março, e a retomada do ano letivo 2020, em 29 de junho, serão 109 dias. Neste período, a Secretaria criou um dos maiores programas de ensino mediado no Brasil. Além daqueles estudantes, 30 mil professores efetivos e temporários estão substituindo temporariamente as tradicionais salas de aula presenciais pela experiência inédita das aulas mediadas. Agora, o ensino será validado por meio do Google Sala de Aula, das teleaulas e de material impresso.

 

Todos os estudantes e professores do ensino médio e dos anos finais do ensino fundamental da rede pública já têm acesso à plataforma Google Sala de Aula. As turmas virtuais já foram criadas e até terça-feira que vem, 23/6, será concluída a enturmação de todos. As turmas dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental e da educação infantil serão criadas de forma descentralizada pelas próprias escolas.

 

Todos os estudantes e professores dos Centros Interescolares de Línguas (CILs) também já têm permissão de acesso. São 17 CILs com 50 mil estudantes. As turmas serão criadas de forma descentralizada pelos CILs, conforme a circular publicada nesta quarta-feira (17/06) com as orientações para cada uma das unidades.

 

Na Educação de Jovens e Adultos (EJA), a criação das turmas e as contas devem ser realizadas pelas unidades escolares que atendem à modalidade. A Educação Profissional possui plataforma de aprendizagem virtual Moodle já disponível para os estudantes.

 

Apenas para os professores substitutos temporários foram criadas 10.600 contas @se. Além disso, está em curso a criação de e-mails @edu para os professores efetivos que ainda não os têm.

 

“Vamos possibilitar a todos o uso do Google Sala de Aula até o dia 29”, afirma o subsecretário de Inovação e Tecnologias Pedagógicas e Gestão (Sinova), Helber Vieira, esclarecendo que as equipes gestoras das 700 unidades escolares da rede também já têm acesso à plataforma, totalizando 6 mil servidores entre diretores, vices e coordenadores pedagógicos.

 

O e-mail dos estudantes com o subdomínio @estudante.se.df.gov.br é de uso estritamente escolar. Para os menores de 13 anos, os pais, responsáveis, gestores e professores devem estar atentos às leis sobre supervisão do uso do endereço eletrônico. A SEEDF divulgará, em breve, a política de uso de e-mails.

 

Circular nº 16/2020 – Google Sala de Aula