Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/21 às 16h51 - Atualizado em 15/03/21 às 19h15

Primeiro ato para criação do restaurante-escola

COMPARTILHAR

Secretaria de Cultura cede prédio no Complexo da República e Educação montará lá unidade profissionalizante já no primeiro semestre

 

Da Redação, Ascom/SEEDF

 

|Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

 

Há um prédio pequeno, baixo, redondo e espelhado que passa despercebido ao olhar de quem trafega no Eixo Monumental a caminho do Congresso Nacional. A paisagem à direita no início da Esplanada dos Ministérios é dominada pelas curvas do Museu Nacional e pelo amplo prédio da Biblioteca Nacional. Entre os dois, o prédio menor foi imaginado por Oscar Niemeyer para abrigar um restaurante. Mas ele jamais foi ocupado. A vida dentro daquela estrutura de concreto e vidro começou a nascer precisamente na manhã desta quarta-feira, 10: numa solenidade simples, os secretários de Cultura e Economia Criativa do DF, Bartolomeu Rodrigues, administrador do Complexo da República, e de Educação, Leandro Cruz, assinaram o ato de parceria que criará o Oscar – Escola de Sabores.

 

Trata-se de um restaurante escola, o primeiro gerido pela Secretaria de Educação, com início de funcionamento previsto ainda para o primeiro semestre do ano letivo de 2021. A iniciativa partiu de uma ideia de Leandro Cruz, prontamente aprovada pelo secretário de Cultura. O objetivo da nova escola é oferecer oportunidades de qualificação e de emprego, além de ser opção gastronômica nacional e internacional com preços abaixo do mercado, aberta no coração da capital.

 

“Queremos proporcionar educação profissional para jovens e adultos, desenvolver estratégias para que as pessoas que fizerem os cursos sejam inseridas no mundo do trabalho e incentivar o empreendedorismo. O Distrito Federal tem um potencial muito grande na área de gastronomia, no turismo, para aqueles que querem iniciar seu próprio negócio na produção alimentícia. Com esta iniciativa, vamos qualificar ainda mais esta prestação de serviço, gerar emprego e renda”, afirma o secretário de Educação, Leandro Cruz.

 

|Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

 

“Neste momento que assinamos o ato, eu gostaria de fazer uma sugestão sobre o nome do lugar. Que não seja simplesmente Restaurante-Escola, mas Escola de Sabores, e que tenha Oscar, já que o projeto é dele”, disse, bem humorado, o secretário de Cultura, Bartolomeu Rodrigues. “Vai ser uma linda homenagem quando, no futuro, a gente possa dizer: vamos ali comer no Oscar.”

 

Localizado no Setor Cultural Sul, o Centro de Educação Profissional Escola de Sabores Oscar será vinculado à Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto. O espaço cedido tem dois pavimentos e área total construída de 495 metros quadrados. O local será readequado pela Secretaria de Educação, com reforma, compra de equipamentos e de mobiliário.

 

Os cursos de educação profissional vão atender jovens e adultos do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (RIDE), de diversos níveis de escolaridade, desde pessoas da comunidade em geral até estudantes do ensino médio, na parte flexível do currículo. As aulas serão tanto para quem já tem emprego e quer se aperfeiçoar ou mudar de área como para quem pretende ingressar no mundo do trabalho, seja prestando serviço a terceiros ou montando se próprio negócio.

 

“O restaurante-escola terá uma dupla finalidade, de um lado formando mão-de-obra especializada numa área em que o Distrito Federal tem potencial para expandir-se cada vez mais, e, de outro, contribuindo para dinamizar o espaço externo do Museu da República, referência no coração da cidade. Em breve, dentro da normalidade que tanto aguardamos, teremos um lugar onde a gastronomia pode explorar a diversidade cultural que vai além do regional, explorando também as experiências de outros países com representação na capital do País”, avalia o titular da Cultura, Bartolomeu Rodrigues.

 

|Maquete: Divulgação

 

O cronograma de realização, o número de vagas e os processos seletivos serão divulgados oportunamente. Os cursos e os pré-requisitos já estão definidos:

 

Qualificação profissional para a comunidade em geral

Curso Carga horária Escolaridade mínima exigida Idade mínima exigida
Agente de gestão de resíduos sólidos 240 h Ensino médio incompleto 18 anos
Agente de segregação e coleta de resíduos sólidos 160 h Ensino fundamental – anos iniciais incompleto 18 anos
Atendente de lanchonete 160 h Ensino fundamental – anos finais incompleto 16 anos
Auxiliar de cozinha 220 h Ensino fundamental – anos finais completos 16 anos
Auxiliar em nutrição e dietética 240 h Ensino fundamental – anos finais completos 18 anos
Barista 160 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 16 anos
Bartender 200 h Ensino fundamental – anos finais completos 18 anos
Churrasqueiro 160 h Ensino fundamental – anos iniciais incompleto 18 anos
Cozinheiro 400 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 16 anos
Cozinheiro industrial 360 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 16 anos
Garçom 200 h Ensino fundamental – anos finais completos 16 anos
Operador de tratamento de resíduos sólidos 160 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 18 anos
Pizzaiolo 160 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 18 anos
Salgadeiro 160 h Ensino fundamental – anos iniciais completos 16 anos
Sommelier 200 h Ensino médio completo 18 anos


Cursos técnicos de nível médio

*Podem ser feitos de forma subsequente, ou seja, depois da conclusão do ensino médio, ou de maneira concomitante para os que estiverem cursando o ensino médio regular ou a educação de jovens e adultos.

Curso Carga horária
Técnico em confeitaria 800 horas
Técnico em panificação 800 horas
Técnico em serviços de restaurante e bar 800 horas

 

*Atualizada em 15/03/2021. 

 

Leia também...