Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/11/18 às 16h07 - Atualizado em 21/11/18 às 16h54

Abertura 12° Paralimpíadas Escolares

Alan Resah, Ascom/SEEDF

 

Com aproximadamente 1.900 pessoas, entre dirigentes técnicos, atletas e representantes de diversos setores do paraesporte brasileiro, foi realizada na noite desta terça (20), no Pavilhão Oeste de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a cerimônia de abertura da 12° edição das Paralimpíadas Escolares.

Foto: Daniel Zappe/CPB/MPIX

O maior evento esportivo do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar segue até sexta-feira (23), no Centro de Treinamento Paralímpico da Capital Paulista. No total, a delegação brasiliense conta com 43 membros, dentre os 989 atletas de 23 estados brasileiros e do DF.

 

Logo na chegada os jovens promissores foram recepcionados por um jantar, seguido pelo hino nacional entoado pela banda militar do estado de São Paulo. Em seguida, foi proferida uma homenagem a Vanilton Senatore, professor que dedicou a vida à educação e ao esporte para pessoas com deficiência.

 

Com apenas 15 anos, Élcio Cunha Pimenta Junior foi o escolhido para representar a delegação do Distrito Federal, conduzindo a bandeira do DF na abertura. Nadador desde a infância, o atleta foi medalhista no Parapan de Jovens 2017, nas Paralimpíadas Escolares do mesmo ano e no Top 26° do World Series nos 400 metros livres.

 

Para ele, cada pequena vitória representa um degrau rumo ao topo. “Tenho a expectativa de transformar o trabalho que eu venho desenvolvendo o ano inteiro em resultados positivos que ajudem tanto a mim, pessoalmente, como ao meu estado a atingir o topo e as melhores colocações”, comenta o atleta do DF.

 

Segundo o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, esse é um dos principais e mais importantes eventos do CPB. “Nós assumimos metas em nosso planejamento estratégico e uma delas é que nos próximos Jogos, em Tóquio 2020 e em Paris 2024, o número de jovens atletas medalhistas aumente e as Paralimpíadas Escolares nos ajudarão a alcançar esse objetivo”, disse.

 

Além dele, estiveram presentes na noite de abertura Linamara Rizzo Bapttistella, secretária da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo e Cid Torquato, secretário da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida representando o prefeito Bruno Covas, de são Paulo.

 

Outras autoridades como Cacá Camargo, secretário de esporte, lazer e juventude do estado de São Paulo, os vices-presidentes do CPB Ivaldo Brandão e Naíse Pedrosa e o superintendente Nelson Hervey também prestigiaram o evento e os jovens atletas presentes no pavilhão.

Expectativa por medalhas

O chefe da delegação brasiliense e professor da Secretaria de Educação do DF, Carlos Ney, comentou o desempenho dos jovens e a expectativa por bons resultados nas competições. “Como atingimos o terceiro lugar ano passado, a nossa expectativa é manter ou melhorar essa classificação este ano”, disse.

 

Para ele, esse encontro, além representar um momento de socialização para agrupamento desses jovens, também reafirma o fator competitivo da ocasião. “Muitos dos nossos jovens recebem bolsas e dependem delas. Então, eles precisam buscar resultados e, este ano, temos nomes fortes da natação, no basquete, no atletismo, no tênis de mesa para cadeirantes, vamos com tudo”, complementou.

 

Além dos treinadores, a comissão técnica do DF conta também com outros especialistas do esporte, como é o caso da fisioterapeuta e educadora física, Márcia Benetti. Para ela, um ponto crucial desse encontro é poder ver a habilitação funcional desses jovens e acompanhar essa perspectiva de crescimento pessoal e esportivo.

 

“Dentro da educação é importante eles colocarem em prática o desenvolvimento que obtiveram. Na área de fisioterapia, podemos enxergar infinitamente esse potencial: de crescimento e resgate motoro, da potencialização do indivíduo que cada um deles representa. Buscando cada vez mais aquilo que eles têm condições de fazer e que o esporte oportuniza a todo tempo”, explica.

 

Ao final do evento os velocistas e medalhistas paralímpicos Mateus Evangelista e Verônica Hipólito foram os responsáveis por acender a pira paralímpica.

 

Nesta quarta-feira (21), começaram as disputas de atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado no CT Paralímpico. Os oito esportes se juntam ao judô, à natação e ao tênis de mesa na composição das 11 modalidades as compôem asParalimpíadas Escolares 2018.

 

Serviço

Data: 21 a 23 de novembro

Cidade: São Paulo (SP)

Local: CT Paralímpico Brasileiro, em São Paulo – Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 (ao lado do São Paulo Expo)

 

Programação*  

Paralimpíadas Escolares 2018

Quarta-feira (21/11) – 8h às 12h e 14h às 18h

Quinta-feira (22/11) – 8h às 12h e 14h às 18h

Sexta-feira (23/11) – 8h às 12h e 14h às 18h

*Programação sujeita a alterações