Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/02/16 às 14h52 - Atualizado em 30/10/18 às 14h11

Batalhão escolar inicia operação Volta às Aulas na rede pública de ensino

Ações de policiamento nos arredores e nas portas dos estabelecimentos serão intensificadas com prioridade para colégios com maior índice de ocorrências em 2015

 


 

Com informações da Agência Brasília

 

O Batalhão Escolar da Polícia Militar do Distrito Federal inicia a partir desta segunda-feira (29) a operação Volta às Aulas, nas escolas da rede pública. Para isso, será intensificado o policiamento nas portas e nos arredores de todos os 661 estabelecimentos públicos de ensino do DF.

 

De acordo com o comando, diversos militares se inscreveram para atuar em todo o DF e dar suporte à atividade. Na agenda do primeiro dia letivo, estão previstas a apresentação do Teatro Rodovia, que dará dicas sobre segurança no trânsito; uma visita dos alunos ao veículo blindado Centurion, do Batalhão de Operações Especiais, e ao ônibus do Centro de Comando Móvel; além da presença do Batalhão de Policiamento com Cães, especializado na identificação de entorpecentes.

 

A operação ocorrerá de forma mais intensa durante a semana, e o policiamento escolar permanecerá constante durante todo o ano letivo.

 

Terão prioridade escolas com grande número de ocorrências e maior atuação dos militares em 2015 — Centro de Ensino Médio nº 2, na QNM 14 de Ceilândia Norte; Centro Educacional nº 6, em Taguatinga Norte; e Centro de Ensino Fundamental nº 1, no Paranoá.

Patrulha ostensiva

Trabalham no batalhão 419 policiais militares. Desses, 320 estão aptos para ação direta nas ruas, atendendo a 1.159 instituições de ensino particulares e públicas no DF.

 

De acordo com a capitão Cristiane Caldeira, em 2016 foi implementado o Roteiro de Patrulhamento Ostensivo Escolar, onde, obrigatoriamente, cada equipe policial tem de visitar no mínimo oito escolas por turno. Os colégios são previamente escolhidos em um planejamento policial que abrange todas as regiões administrativas.

 

As equipes são divididas em turnos de 12 horas, das 7 às 19 horas e das 11 às 23 horas. No patrulhamento ostensivo, os policiais devem permanecer por pelo menos 40 minutos em cada instituição e consultar diretores e professores sobre possíveis problemas com estudantes e comunidade escolar.

 

“Com esse trabalho, acredito que a atuação do batalhão será mais eficaz. Além disso, há maior visibilidade dos policiais e mais sensação de segurança com a presença dos militares”, afirma a capitão.

Veículos vistoriados

Os militares que fazem o policiamento escolar agem no atendimento às demandas da comunidade escolar, na prevenção de ocorrências e na repressão a crimes e delitos. Frequentemente os policiais participam de reuniões com o conselho escolar — pais e professores — e promovem palestras para os estudantes sobre temas como bullying, drogas, conflitos entre alunos e violência familiar. A ideia é reforçar e resgatar valores como respeito, educação, ética e moral.

 

Diariamente são feitas abordagens a veículos e a pessoas suspeitas nas proximidades das escolas. Os militares também executam a operação Varredura, que vistoria mochilas e pertences dos estudantes, na tentativa de identificar objetos que sejam produtos de roubos ou furtos, além de armas e drogas.

 

Para fazer a repressão a crimes também são fiscalizados veículos de transporte escolar. Para isso, o contingente conta com apoio do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), que identifica a presença de drogas com os estudantes ou nos veículos abordados.

 

Está em andamento também o projeto Escola Polo, onde em cada região administrativa policiais trabalham em um posto de controle fixo dentro de um colégio, que centraliza e distribui possíveis ocorrências de instituições de ensino daquela região.

Comunicação

Após a criação do Disque-Denúncia em 2015, aumentaram os chamados e também o número de solicitações ao batalhão para atendimentos a pessoas com deficiência auditiva, que sofriam bullying e outras agressões no ambiente escolar.

 

O pronto-atendimento é feito pelo Serviço de Apoio ao Aluno Surdo, implantado pelo grupamento para facilitar as ações relativas a pessoas com deficiência. Existem 80 policiais fluentes em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras).

 

O Batalhão Escolar da Polícia Militar fica em Águas Claras, na Avenida Sibipiruna, Lotes 3 a 5.

Disque-Denúncia Escolar

Funcionamento das 7 às 23 horas
Contatos: 9344-5857 (WhatsApp do batalhão) e 3961-1669