Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/08/19 às 16h38 - Atualizado em 15/08/19 às 18h08

Educação debate experiências de sucesso para o ensino

Especialistas trouxeram exemplos que podem melhorar ensino no DF

 

Thaís Rohrer, Ascom/SEEDF

 

 

Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

Subsecretários, assessores e servidores da Secretaria de Educação participaram, nesta quinta-feira (15), de debate com os especialistas em educação e gestão pública Ricardo Henriques, do Instituto Unibanco, e Cláudia Costin, da Fundação Getúlio Vargas (FGV). No encontro, com a presença do secretário de Educação, Rafael Parente, foram discutidos temas como boas práticas na educação, referências de projetos pedagógicos e outras experiências de sucesso na área.

 

Rafael Parente ressaltou a importância da experiência dos especialistas para a rede pública de ensino do DF. “Eles são mentores na área de educação que já implementaram muitos projetos de referência que nos inspiram. Pegamos ideias que deram certo em outros estados e órgãos e aprimoramos para o DF”, disse.

 

Cláudia Costin, fundadora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (Ceipe) da Fundação Getúlio Vargas, onde atua como professora e diretora, falou sobre a importância das métricas na aprendizagem. “A qualidade da aprendizagem depende diretamente da qualidade de formação do professor”, afirmou.

 

Um dos pontos fortes da reunião foi o debate sobre a importância da criação de uma cultura de colaboração nas escolas. Um dos exemplos apresentados foi o de professores que assistem às aulas uns dos outros e depois fazem contribuições para melhorar a didática. Encontros de diretores de escolas com realidades semelhantes para verificar ações e traçar estratégias para melhorias e mediação de conflitos também pode ser uma maneira de aperfeiçoar a gestão.

 

“Essa troca de experiências é fundamental. É uma cooperação real, de forma tangível, que busca boas práticas e soluções de problemas com as informações do dia a dia”, completou Ricardo Henriques, que atualmente é superintendente executivo do Instituto Unibanco e membro do Conselho de Administração do Instituto Internacional de Planejamento da Educação (IIPE) da Unesco.

 

Ações inspiradoras

 

Os especialistas ouviram algumas ações desenvolvidas pela Secretaria de Educação, como o Programa Escola que Queremos, que traz benefícios como a descentralização da formação de professores pelo DF e o reconhecimento de práticas de sucesso, promovendo atenção especial para as unidades escolares com maior vulnerabilidade. O objetivo foi expor algumas das estratégias de atuação já em andamento para que ideias complementares sejam agregadas.

 

Henriques lembrou da importância de ações afirmativas no sentido de fomentar atividades para melhorar a qualidade da educação, especialmente nas áreas com mais desafios.

 

Para o subsecretário de Educação Básica, Helber Vieira, é importante ter um olhar diferenciado de acordo com as necessidades de cada escola e região. “Pensar em cada momento e microdecisão tomadas na gestão da Secretaria de Educação é fundamental para reduzir desigualdades e dar mais oportunidades aos estudantes”, comentou.