Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/06/18 às 14h14 - Atualizado em 30/10/18 às 14h06

Educação para mobilidade e trânsito

O evento faz parte do curso de formação de professores do programa Detran nas escolas


 

Foto: Vladimir Luz, Ascom/SEEDF

Maria do Carmo Alvarenga, Ascom/SEEDF

 

Um dia de vivências e atividades lúdicas sobre como respeitar o ir e vir de todas as pessoas no espaço público. Foi assim o I Circuito de Experiências em Mobilidade e Trânsito do curso de formação de professores do Programa Detran nas Escolas, que é uma parceria entre a Secretaria de Educação e o Detran-DF.

 

O evento foi realizado na EAPE, nesta quinta (21) e reuniu a equipe de educação de trânsito do Detran-DF junto com professores, gestores, coordenadores pedagógicos e estudantes das escolas públicas. Eles participaram de uma palestra sobre a importância da temática mobilidade e trânsito na Educação Básica e vivenciaram experiências com jogos pedagógicos relacionadas ao dia-a-dia no trânsito. “O objetivo é não só passar aqueles conhecimentos que a gente já tem trabalhado com os professores, mas também os professores vivenciem esse momento de aprendizagem, de convivência no trânsito, refletir sobre um trânsito mais seguro e os impactos que isso tem na vida dos alunos dele”, afirma o gerente da Escola Pública de Trânsito, Roque Mengle Vasco Santana.

 

O programa visa promover a educação para o trânsito nas escolas da rede pública do Distrito Federal por meio do desenvolvimento de ações pedagógicas voltadas para uma perspectiva de mobilidade urbana. Podem participar os professores da Educação Infantil, Ensino Fundamental (Anos Iniciais e Finais) e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para a assessora especial da Subsecretaria de Educação Básica (Subeb), Marília Magalhães Teixeira, “essa formação é muito importante para a segurança das nossas próprias crianças tendo em vista o número de acidentes que existe.”

 

A formação apresentou aos professores possibilidades de abordar os conteúdos sobre o trânsito, conceitos de cidadania e convivência de maneira agradável utilizando jogos e tecnologias. A professora da Educação Infantil Ângela Maria dos Santos aplicou as experiências com os estudantes e disse que eles gostaram muito dos jogos que, além de ensinar as regras de trânsito, estimularam a coordenação motora. “Você brinca e educa ao mesmo tempo.”

A professora Carolina Vaz também gostou das atividades. Ela realizou passeios pela vizinhança da escola para que as crianças pudessem vivenciar na prática as noções de semáforo, faixa de pedestres, como atravessar a rua. “As crianças adoraram fazer as atividades. Tem retorno. Elas chegam em casa, falam com os pais e voltam com a resposta pra gente. Vale muito a pena trabalhar assim”, afirma.

Mobilidade e segurança

A importância de se educar desde a infância se fundamenta em garantir a segurança e a mobilidade. As estatísticas sobre mortes de crianças no trânsito são alarmantes: de acordo com pesquisa divulgada em maio de 2018 pela Organização Não Governamental (ONG) Criança Segura, com base em números informados pelo Ministério da Saúde, o trânsito é a principal causa de morte acidental entre crianças de zero a 14 anos no Brasil. Para o diretor de Educação do Trânsito do Detran-DF, Álvaro Sebastião Teixeira Ribeiro, a educação precisa começar pelas crianças. “As mortes no trânsito ocorrem por falta de educação para o trânsito, por falta de respeito. Então as pessoas não respeitam esse espaço como um espaço público comum e acabam abusando do seu uso.”

 

O gerente da Escola Pública de Trânsito, Roque Santana, também acredita que a parceria entre a educação e o Detran é caminho para diminuir as mortes. “O trabalho integrado da educação de trânsito, da engenharia e da fiscalização e somado ao trabalho fundamental que é o trabalho do professor, isso tem uma expectativa de ser um grande caso de sucesso no Brasil”, explica.