Governo do Distrito Federal
31/03/23 às 16h05 - Atualizado em 31/03/23 às 16h14

Estudantes aprendem sobre a cultura do Suriname

Alunos da área rural de Brazlândia conhecem embaixada do país

Da Agência Brasília* | Edição: Carolina Lobo

 

Esta quinta-feira (30) teve sabor especial para 20 estudantes de uma escola rural de Brazlândia. Acompanhados por dois professores, eles tiveram contato com a cultura, as curiosidades e a gastronomia do Suriname. A experiência – promovida pelo Programa Embaixada de Portas Abertas (Pepa), realizado pela Secretaria de Relações Internacionais (Serinter) –, levou os alunos do Centro de Ensino Fundamental Incra 7 para uma manhã na embaixada do país sul-americano, no Lago Sul.

 

Vinte alunos do Centro de Ensino Fundamental Incra 7, da zona rural de Brazlândia, visitaram a Embaixada do Suriname nesta quinta (30) | Fotos: Maria Luiza Lourenço/Serinter

 

A embaixadora Angeladebie Roshni Annie Ramkisoen recebeu as crianças que, logo na chegada, tiveram o “passaporte mirim” carimbado com “autorização” para a viagem, que começou com os estudantes ouvindo dos funcionários da Embaixada do Suriname um resumo sobre a história e os costumes do país. O primeiro deles, sobre o nome do território, que é uma homenagem aos índios surinen, habitantes originais da região.

 

Fico muito feliz em receber todos vocês aqui. Esta é a primeira vez que a embaixada abre suas portas para estudantes. Um caminho para que vocês conheçam um outro país, uma outra cultura”, afirmou a embaixadora.

 

Os estudantes ajudaram a preparar dois pratos típicos

Como aprender dá fome, os alunos também tiveram o momento do lanche. Já que haviam aprendido bastante sobre as comidas típicas do Suriname, eles mesmos colocaram a mão na massa e produziram dois pratos da gastronomia surinamesa: a saoto, uma sopa com arroz, frango, feijão e batata palha; e o bojo, um bolinho feito de mandioca com ameixa.

 

Poder proporcionar essa experiência aos nossos estudantes é muito gratificante e este é um programa muito considerável da secretaria”, destacou o secretário de Relações Internacionais, Paco Britto. “Mas, além disso, também é uma grande oportunidade para as embaixadas, que ganham com essa troca, esse intercâmbio cultural com nossos alunos, nosso povo”, frisou.

 

Os jovens, junto com funcionários da Embaixada do Suriname, plantaram mudas de tomate, pimenta e jiló

Acostumados com a convivência harmônica com o meio ambiente – já que a área rural de Brazlândia tem a produção de hortifrutigranjeiros como sua principal fonte econômica –, os estudantes participaram de outra atividade que agradou em cheio: o plantio de mudas de tomate, pimenta e jiló.

 

Brasil e Suriname

 

O Brasil e o Suriname têm 24 acordos bilaterais assinados, sendo 19 em vigor. Os dois países mantêm cooperações em diversos temas, incluindo o compartilhamento de dados gerados pelo Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam), investigação policial conjunta acerca do tráfico de pessoas e apoio técnico brasileiro para a exportação agrícola surinamesa a países caribenhos, entre outras iniciativas. No total, o Brasil conta com 70 projetos de cooperação bilateral com o Suriname.

 

Apesar de ter relações diplomáticas com todos os países caribenhos, o Brasil mantém embaixadas em apenas nove Estados dos países que formam a Comunidade do Caribe (Caricom), entre eles o Suriname.

 

Embaixada de Portas Abertas

 

O Pepa é uma ação alinhada com a política do governo de melhorar a educação primária do Distrito Federal, possibilitando aos estudantes o aprendizado acerca de história, geografia, cultura e línguas estrangeiras, assim como sobre carreiras e rotinas diplomáticas e consulares de diversos países, ao mesmo tempo que oferece às representações diplomáticas a oportunidade de conhecer e se aproximar das comunidades escolares das diferentes regiões administrativas do Distrito Federal.

 

*Com informações da Secretaria de Relações Internacionais

Governo do Distrito Federal