Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/08/21 às 11h12 - Atualizado em 5/08/21 às 21h05

Kawan entra para história olímpica brasileira

Aluno do Centro de Ensino Médio da Asa Norte compete nesta sexta-feira na modalidade de saltos ornamentais

 

Por Aldenora Moraes, Ascom/SEEDF

 

O estudante do CEAN, Kawan Pereira, participa da competição de Saltos ornamentais nos Jogos Olímpicos em Tóquio. Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

 

A história de Kawan Figueiredo Pereira se destaca da jornada de milhares de estudantes brasileiros. O jovem de 19 anos, que faz o ensino médio no Centro de Ensino Médio da Asa Norte (CEAN), iniciou a carreira de atleta como jogador de futebol society. Participou de treinos como capoeirista, mas se encontrou nas plataformas e trampolins dos saltos no Centro Olímpico e Paraolímpico (COP) do Gama.

 

De iniciante nas piscinas do COP, Kawan participou de competições cada vez avançadas. O esforço foi recompensado. Ao disputar a Copa do Mundo de saltos ornamentais no Japão, disputa que substituiu o pré-olímpico, ele não apenas alcançou a vaga para as Olimpíadas de Tóquio, mas obteve o melhor resultado brasileiro em Copas do Mundo de saltos ornamentais.

 

Nas Olimpíadas, Kawan participa da modalidade de salto em plataforma de 10 metros – cujas provas preliminares estão marcadas para a sexta-feira, 6 de agosto. Quanto à sua participação, com uma rotina de treinos que ocorre de segunda a sábado, o atleta é categórico: “É um sonho realizado. Não importa qual seja o seu sonho: siga. Não deixe ninguém falar que você não consegue”, afirma.

 

Leia também
Um bronze com sabor de ouro
 

Além da vaga para disputar as Olimpíadas, em 2019, Kawan já havia conquistado a medalha de bronze nos saltos ornamentais ao lado de Isaac Souza na plataforma sincronizada, nos Jogos Pan-Americanos, em Lima.

 

Formando campeões

 

Ricardo Moreira, professor da rede pública de ensino do DF e chefe de equipe de saltos ornamentais do Brasil em Tóquio, contou, por telefone, diretamente do Japão, que a expectativa é que Kawan fique entre os 12 primeiros colocados, o que significa um resultado nunca antes conquistado por um brasileiro.

 

Ricardo, que também é coordenador técnico da seleção brasileira em saltos ornamentais, atua, desde 2005 com os jovens talentos das escolas públicas. “Procuramos dar a esses estudantes as condições apropriadas, a estrutura e o treinamento necessário para se desenvolverem”, afirma.