Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/04/22 às 17h58 - Atualizado em 2/05/22 às 8h13

CREs montam comissões para o Plano de Urgência nas Escolas

Secretaria de Educação nomeou representantes que ficarão à frente das ações

Redação, Ascom/SEEDF

 

O objetivo do Plano é promover a paz nas Unidades Escolares da Rede Pública de Ensino / Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

 

Mais um passo do cronograma do Plano de Urgência pela Paz nas Escolas foi dado. Nesta quinta-feira (28), a Secretaria de Educação publicou no Diário Oficial representantes das Regionais de Ensino que ficarão à frente das ações que serão estabelecidas pelo Comitê Intersetorial, instituído por sete Subsecretarias da pasta. O objetivo de ambas as comissões é discutir, propor e criar ações para promover a paz nas Unidades Escolares da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal.

 

Segundo o presidente da Comissão do Plano de Urgência, Tony Marcelo, as equipes Regionais ficarão responsáveis pela implementação, execução e monitoramento de ações de promoção da educação para a cultura de paz e convivência escolar, assim como de apoio na articulação da rede de enfrentamento às situações de violência nas Unidades Escolares – UEs, vinculadas à Coordenação Regional de Ensino do Guará.

 

O intuito é fazer um planejamento para inibir o índice de violência nas escolas. “Precisamos tornar esses ambientes escolares em espaços, onde os alunos possam ter um momento de reflexão, resolução de conflitos e até mesmo rodas de conversa, que já estão acontecendo, para trocarem experiências”, destaca o dirigente.

 

Plano de Urgência

 

De início, o Plano está sendo implementado em 126 escolas com o maior índice de registros de violência e vulnerabilidade. A Secretaria de Educação tem apoio das Secretarias de Segurança Pública, Saúde, Esporte, Justiça e Juventude.

 

Entre as ações já definidas, estão:

Distribuição para todas as escolas da rede pública, até 20 de abril, do Caderno de Convivência Escolar e Cultura de Paz;

Criação de um canal direto entre os diretores escolares e a Polícia Militar;

Reforço do efetivo do Batalhão Escolar;

Continuidade da operação de revista nas portas das escolas e nas salas de aula, sempre que for solicitado pelos diretores;

Prosseguimento do programa de Saúde Escolar (nacional), que previne desde a proliferação do mosquito da dengue até o uso de drogas e álcool;

Implementação em todas as regionais de ensino do programa Práticas Integradas Complementares (PIC), que faz uso de práticas que buscam o equilíbrio do ser humano, como Reiki, massagem e bate-papo entre estudantes.

Governo do Distrito Federal