Governo do Distrito Federal
3/11/22 às 19h35 - Atualizado em 4/11/22 às 8h21

#TBT: Sessão de cinema inclusiva leva acessibilidade para escolas públicas

Projeto exibe filmes com auxílio da audiodescrição para deficientes visuais e intérprete de libras para alunos surdos

Ícaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

 

Acessibilidade nos ambientes de cultura, lazer e entretenimento. É o que a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal pretende levar às escolas públicas do DF com o projeto Cinema Inclusivo e Especial, uma iniciativa da Subsecretaria de Educação Inclusiva e Especial (Subin), junto a Regional de Ensino do Núcleo Bandeirante e o Instituto Rede Entre Nós, uma organização que atua com cidadania e inclusão social no DF.

 

Em agosto, os estudantes da Escola Parque da Natureza e Esporte do Núcleo Bandeirante, se reuniram em uma manhã de sábado para a cerimônia de abertura do projeto. Os alunos assistiram ao curta-metragem “A Casa das 365 Janelas”, uma produção com duração de 20 minutos, com auxílio de diversos dispositivos para tornar a experiência acessível para todos.

 

O filme foi transmitido com audiodescrição para deficientes visuais e teve auxílio de intérprete de libras para estudantes surdos. O volume do som estava em altura compatível com a necessidade dos estudantes com deficiência auditiva. Além disso, havia espaços reservados para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida.

 

Objetivo do projeto é promover acessibilidade nos ambientes de cultura | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A grande proposta do projeto é trazer uma discussão em cima da própria política pública de inclusão, ofertar acessibilidade para trazer oportunidades iguais para todos e discutir a importância da inclusão em todos os segmentos sociais do DF”, explica Vera Lúcia, subsecretária de Educação Inclusiva e Especial.

 

Os alunos participaram ainda de uma experiência sensorial, na qual tiveram os olhos vendados durante a transmissão do filme. No final, foram convidados a contarem detalhes sobre a obra, tais como: percepção de cores, sons e o que haviam entendido da história. A experiência tinha como objetivo captar as emoções e os sentidos que o nosso cérebro é capaz de produzir na ausência da visão.

 

Alunos com e sem deficiência participaram da sessão especial | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

A sessão de cinema contou com a presença de professores e coordenadores da Regional de Ensino do Núcleo Bandeirante, além de pais e alunos, representantes da Gerência de Educação em Direitos Humanos e Diversidade da Secretaria de Educação do DF, e da Rede Entre Nós.

 

Esse evento foi a primeira sessão do cinema inclusivo especial, projeto que nasceu para proporcionar acessibilidade de pessoas com deficiência nos ambientes de cultura, lazer e entretenimento. A Secretaria de Educação entendeu a importância de mostrar para todos os estudantes, com ou sem deficiência a diferença que o uso das tecnologias assistivas tem na hora de ver o filme e as dificuldades enfrentadas pelas pessoas com deficiência“, ressaltou a presidente da Instituição Entre Nós, Tatiana Corrêa Leite.

 

Sobre o filme

 

O filme foi transmitido com audiodescrição para deficientes visuais | Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

O curta “A Casa das 365 Janelas” traz a história de três crianças (Maria da Luz, Brasilinho e Mateus), convidadas a abrirem “as janelas da imaginação” para conhecerem a história de Brasília. Os personagens são levados a alguns dos principais pontos turísticos da Capital, tais como: Torre Digital, Praça dos Três Poderes e Memorial JK.

 

No passeio, os amigos descobrem o papel dos três pilares da Democracia: poder executivo, legislativo e judiciário, assim como a história da construção da capital e os responsáveis pela idealização do projeto arquitetônico da cidade: os arquitetos Oscar Niemeyer e Lúcio Costa e o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

 

Governo do Distrito Federal