Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/01/21 às 14h52 - Atualizado em 5/03/21 às 15h35

Virando o Jogo na Educação vem aí

Durante coletiva de imprensa de encerramento do ano letivo, Leandro Cruz revela programa ambicioso para a rede pública de ensino

 

Thaís Rohrer, Málcia Afonso, Cláudia Diegues – Ascom/SEEDF

 

img-responsiva

|Foto: Mary Leal, Ascom/SEEDF

As atividades na rede pública de ensino serão retomadas no dia 8 de março, “provavelmente com o modelo híbrido”, nas palavras do secretário de Educação, Leandro Cruz. O que significa que metade da turma terá aula presencial e a outra metade, virtual. Na semana seguinte, os papéis se invertem. Quem ficou em casa vai para escola, quem foi a escola fica em casa.

 

Essa, porém, não é a maior novidade para 2021. Numa coletiva de imprensa nesta quinta, 28, último dia do ano letivo de 2020, o secretário informou que anunciará nos próximos dias o programa Virando o Jogo na Educação. Será, segundo disse, um grande número de ações simultâneas em todas as etapas do ensino básico – com destaque para integração do modelo pedagógico com prática esportiva, cultura e ações de promoção do protagonismo estudantil.

 

Ao todo, são 15 programas e projetos, que buscam, principalmente, melhorar a qualidade do processo de ensino e de aprendizagem, bem como aproximar estudantes, comunidade escolar e sociedade.

 

“A gente entende que o ano de 2020 vai deixar graves sequelas na educação de Brasília, do Brasil e do mundo. O programa Virando o Jogo começa em 2021, mas não acaba em 2021, é um programa para uma década. É um programa para acompanhar e para resgatar cada estudante, cada conteúdo, tratar cada dano, emocional ou pedagógico, que teve esse nosso estudante”, disse o secretário. “A educação se faz de forma completa dentro da escola, isso é muito importante. O melhor lugar para se educar uma criança, é dentro da escola.”

 

O programa Virando o Jogo vai trabalhar também em frentes como alfabetização de jovens, adultos e idosos, educação profissional, preparação para o Enem e reforço escolar, entre outros. Os detalhes serão esmiuçados no lançamento do programa, em fevereiro.

 

════Volta às aulas════

 

Leandro Cruz, destacou o papel fundamental dos profissionais da educação que ultrapassaram diversos desafios em 2020 e na preparação para o ano letivo de 2021. “Os professores não se acomodaram diante do novo formato que a educação pediu em 2020. Fizeram uma busca ativa dos estudantes, usaram o Google Sala de Aula, materiais impressos e várias outras formas para atingir os estudantes. As escolas não fecharam nenhum dia, apesar dos estudantes não estarem frequentando as aulas presencialmente. As escolas seguiram com reformas, distribuição de cestas verdes, entrega de material e tantas outras formas para se conectar com os estudantes”.

 

O secretário Executivo, professor Fábio Sousa, reafirmou o papel de excelência dos profissionais da educação: “Nenhum estudante foi deixado para trás. A parte afetiva da educação foi intensificada durante o processo mediado pelo ensino remoto. Foi lindo de ver como os professores e demais profissionais se esforçaram para que a aprendizagem fosse realizada! Em 2021, continuaremos utilizando recursos como o Google Sala de Aula, mesmo quando as aulas presenciais retornarem. Também esperamos que a integração entre família e escola continue firme em 2021”.

 

O plano para volta às aulas em 2021 foca na importância da retomada das aprendizagens do atípico ano letivo de 2020. “Não cansamos de afirmar que contamos com corpo docente dos mais capacitados do país. Foi um desafio o ensino remoto, mas os profissionais da educação tiveram uma atuação incansável. Reconhecemos as limitações que a educação mediada impõe, por isso o ano de 2021 terá muitas ações e projetos para resgatar as aprendizagens. Fazemos um pacto de uma década nesse processo porque sabemos que o ano de 2020 pode trazer consequências a longo prazo”, afirma Tiago Cortinaz, subsecretário de Educação Básica da Educação.

 

════Retomada de forma segura════

 

A Secretaria de Educação acompanha a evolução da pandemia e a aplicação da vacina no Distrito Federal. Por determinação do governador Ibaneis Rocha, os profissionais da educação entraram para o grupo prioritário de imunização.  O plano de vacinação contra a Covid-19 do DF inclui os profissionais da educação na quarta fase da primeira etapa, após a vacinação do grupo de pessoas com comorbidades.

 

“Todas as vidas importam, por isso professores e todos os profissionais que atuam nas unidades escolares devem ser vacinados. Vemos essa preocupação da parte do Governo durante o processo de vacinação. A maneira como será a vacinação na Educação ainda está em debate e será organizada pela Secretaria de Saúde”, frisa Leandro Cruz.

 

O protocolo de retorno com todas as orientações para uma retomada com segurança para estudantes, professores e demais profissionais da educação está em fase de finalização e será divulgado à sociedade antes do começo das aulas.

 

Os cuidados vão desde a sanitização das escolas e a instalação de lavatórios na entrada das instituições até a disponibilidade de álcool em gel, de máscaras de proteção e tapetes higienizantes na porta da sala de aula, além de regras de distanciamento.

 

════Ensino remoto════

 

O tempo foi curto para adequar a estrutura de ensino a um modelo totalmente novo. O ano letivo começou em 10/02, foi interrompido em 12/03, retomado oficialmente em 13/07, de forma remota, e termina nesta quinta-feira, 28/01. Mesmo entre abril e junho, período que não valeu presença, a Secretaria buscou manter o engajamento dos estudantes.

 

Por três meses, foram veiculadas teleaulas, por meio de uma parceria com a TV Justiça, que possibilitou aulas em três emissoras de televisão. Já em abril, a plataforma Google Sala de Aula entrou no ar, primeiro para o ensino médio e logo depois para o fundamental.

 

Para que ninguém fosse excluído, depois de um esforço de negociação junto às operadoras de telefonia, desde setembro a Secretaria de Educação começou a fornecer os pacotes de dados gratuitos para acesso à plataforma, via aplicativo específico, o Escola em Casa DF, produzido pela Universidade de Brasília (UnB) a pedido da pasta. Os chips para dispositivos móveis puderam ser comprados com o Cartão Material Escolar. Além disto, priorizando a inclusão, estudantes sem acesso à internet receberam material impresso – no primeiro momento, direto na escola e, posteriormente, em suas casas.

 

A plataforma foi um sucesso, com 470 mil estudantes e 72 mil profissionais da educação inscritos. Só de acessos, desde o início do funcionamento, foram 17,5 milhões por parte de estudantes e outros 3,6 milhões de professores. O número de postagens também foi expressivo: 11,4 milhões de estudantes e 400 mil de professores.

 

════Alimentação escolar════

 

Para garantir a segurança alimentar e nutricional dos estudantes, especialmente aqueles em situação de vulnerabilidade social, o governador Ibaneis Rocha criou, em março, os cartões Alimentação e Alimentação Creche. Ao todo, foram investidos mais de R$ 133 milhões de reais.

 

Foram beneficiados 106 mil estudantes, cujas famílias recebiam o Cartão Material Escolar, que são aquelas contempladas pelo Bolsa Família, e mais de 23 mil crianças matriculadas nas creches conveniadas.

 

No segundo semestre, foram distribuídas cestas verdes para as famílias, com produtos da agricultura familiar. Os itens não perecíveis estocados nas escolas também foram entregues antes que se tornassem impróprios para o consumo.

 

════Avaliação════

 

Para as avaliações, foram considerados, além dos objetivos de aprendizagem alcançados, os desafios impostos pelo ensino mediado por tecnologia, tanto para os estudantes, quanto para as famílias. A decisão final sobre aprovação e reprovação é discutida no espaço do Conselho de Classe, que é soberano. Estas avaliações já serão um diagnóstico sobre aquilo que efetivamente o estudante aprendeu no ano letivo que se encerra.

 

Em parceria com as 14 regionais de ensino e as escolas, a SEEDF construiu propostas de replanejamento curricular para 2021, que englobam todas as etapas e modalidades da educação básica. Assim, será possível resgatar as aprendizagens que não tenham sido alcançadas em 2020.

 

════Investimento nas escolas════

 

Mais de R$ 210 milhões foram investidos nas estruturas das unidades escolares do Distrito Federal em 2020 com verbas do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (PDAF). O montante é a soma das verbas de emendas parlamentares e de recursos da própria Secretaria de Educação.

 

Pela primeira vez, as parcelas regulares foram pagas em dia e, para melhorar, todos os distritais ajudaram a custear os reparos. O ano terminou com 100% de execução dos valores empenhados.

 

Uma novidade para 2021 é que os valores do PDAF serão pagos antes do início do ano letivo. Assim, cerca de R$ 50 milhões serão disponibilizados para as escolas antes do dia 8 de março.

 

Além do PDAF, as escolas também receberam R$ 42 de milhões em investimento para reformas e reparos por meio de contratos de manutenção das unidades no decorrer de 2020.

 

════Mais nomeações════

 

Em 2020, foram nomeados 821 professores efetivos e 41 profissionais da Carreira Assistência à Educação.

 

Durante a coletiva de imprensa, o secretário de Educação o DF, Leandro Cruz, anunciou que irão ocorrer novas nomeações. ”O governador autorizou a continuidade do processo de nomeação para carreira de assistência. Em 2021, a Secretaria terá um reforço no quadro de servidores”, destaca.

 

════Férias coletivas professores════

 

Também foi divulgado que os professores receberão, em até 48h antes do primeiro dia do início das férias coletivas, 1º de fevereiro, o pagamento dos valores devidos.

 

════Inscrições e matrículas para 2021════

 

A Secretaria de Educação recebeu 31.048 inscrições de novos estudantes interessados em ingressar na rede pública em 2021. O número foi menor do que o registrado no ano anterior, quando ocorreram 38.579 pedidos, uma diferença de 7.531 estudantes.

 

Os resultados das inscrições para os novos estudantes que pretendem ingressar na rede pública de ensino do Distrito Federal foram disponibilizados no site da Secretaria de Educação em 21/01. Todos os inscritos para vagas na Educação básica, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e a Educação Profissional foram contemplados.

 

A confirmação das matrículas para o ano letivo de 2021 será realizada em duas etapas, uma on-line e outra presencial. As informações estão publicadas no site.

 

════Integra da coletiva de imprensa════

 

img-responsiva#EducaDF

 

════Veja a apresentação════

 

img-responsiva Acesse aqui

 

════Galeria de fotos════

 

Coletiva de encerramento do ano letivo 2020- 2021