Governo do Distrito Federal
6/12/22 às 14h05 - Atualizado em 6/12/22 às 14h18

Duas novas escolas técnicas abrem as portas em 2023

Unidades vão atender cerca de 4,8 mil alunos, em um investimento total que supera R$ 24 milhões

Ian Ferraz, da Agência Brasília I Edição: Débora Cronemberger

 

O Distrito Federal vai ganhar duas escolas técnicas em 2023, uma em Santa Maria e a outra no Paranoá. Cada unidade terá capacidade de atender aproximadamente 2,4 mil alunos, mas, para além do número, elas serão importantes por levar a oferta de ensino profissionalizante a essas regiões.

 

A Escola Técnica de Santa Maria está com a obra mais avançada, com 95% de execução. A previsão é que ela seja entregue em fevereiro e passe a atender, a partir do segundo semestre, não só estudantes da região administrativa, mas também de outras cidades próximas, inclusive do Entorno.


Estamos trabalhando para oferecer cursos de acordo com a necessidade que o mercado de trabalho apontaHélvia Paranaguá, secretária de Educação

 

Em Santa Maria, o governo vai ofertar o curso de técnico em radiologia – não disponível na rede pública de ensino –, cuidados com idoso, desenvolvimento de sistema e o de rede de computadores. Para tanto, o governo local investe R$ 11,8 milhões na obra. “Extremamente importante para a cidade e o Entorno. Ela fica próxima ao BRT e vai abraçar quem passa do Entorno por aquela região. Vai atender alunos do DF e de fora”, afirma o coordenador da Regional de Ensino de Santa Maria, Claudiney Formiga Cabral.

 

A gente precisa dar uma formação para esse aluno que não quer ingressar na universidade e a escola técnica é uma opção que o governo do Distrito Federal encontrou para isso. Com esse foco, no ensino profissionalizante e técnico, vamos ampliar a oferta de cursos técnicos com a entrega de mais duas escolas em 2023. Estamos trabalhando para oferecer cursos de acordo com a necessidade que o mercado de trabalho aponta”, destaca a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

 

Escolas técnicas vão oferecer cursos profissionalizantes no Paranoá e em Santa Maria, assim como acontece em unidades de regiões como Brazlândia, onde são atendidos 651 alunos | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

 

No Paranoá, a previsão de conclusão da obra de R$ 12,3 milhões é para o segundo semestre. Por lá, os estudantes terão acesso aos cursos de técnico em desenho de construção civil e em edificações, bem como em serviços públicos e privados.

 

Não há outra escola na região, a mais próxima fica em Planaltina, com a Escola Técnica de Enfermagem. Essa escola vai atender o Paranoá, Itapoã, Varjão e outras cidades. É incalculável a importância dela para nossa região”, avalia o coordenador da Regional de Ensino do Paranoá, Ranieri Carneiro Falcão.

 

As novas unidades – Brazlândia, Santa Maria e Paranoá – seguem o padrão arquitetônico estabelecido pelo Fundo Nacional da Educação (FNDE). As escolas contam com 12 salas de aula, laboratórios (informática, química, física, enfermagem, entre outros), quadra poliesportiva, espaços administrativos, jardim, auditório, biblioteca, cantina, estacionamento e unidade de tratamento de esgoto.

 

Atualmente, o DF tem 14 escolas técnicas com diferentes cursos que atendem cerca de 13 mil pessoas. O Governo do Distrito Federal (GDF) quer ampliar esse número e tem planos para construir uma unidade em São Sebastião. Em 2021, o GDF entregou uma unidade em Brazlândia, onde são atendidos 651 alunos em cursos de técnico em informática, técnico em enfermagem e de qualificação profissional em assistente administrativo e cuidador infantil.

 

Governo do Distrito Federal