Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/12/21 às 17h38 - Atualizado em 23/12/21 às 17h47

Química e agricultura para a vida

Sai lista de vencedores do 10º Circuito de Ciências das Escolas da Rede Pública de Ensino

Thaís Rohrer, Ascom/SEEDF

 

Produção de alimentos em casa, química aplicada à qualidade de vida. O 10º Circuito de Ciências das Escolas da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal anunciou a lista de vencedores em 2021 e os estudantes das escolas públicas deram um show de criatividade e aplicação.

 

   Veja a lista dos vencedores   

 

Em 2021, o processo de participação e de seleção ocorreu de forma virtual.  O Circuito de Ciências foi dividido em três etapas: local, regional e distrital.

 

Puderam ser inscritos trabalhos científicos e materiais produzidos por estudantes da educação infantil, do ensino fundamental, do ensino médio, do ensino médio técnico, da educação de jovens e adultos e da educação especial. Professores efetivos, temporários ou de instituições parceiras atuaram como orientadores.

 

Estudantes do Centro de Ensino Fundamental Cerâmicas Reunidas Dom Bosco, de Planaltina, ficaram em primeiro lugar na categoria Iniciação à Pesquisa com o projeto Meu cantinho agroecológico: uma experiência em pequena escala.

 

A escola já trabalhava com ações para implantação de um Sistema Agroflorestal (SAF). As atividades envolviam alunos e a comunidade rural das redondezas. Justamente aí, veio a ideia de uma turma do 4º ano do ensino fundamental de utilizar os princípios agroecológicos em pequena escala.

 

Estudantes do CEF Cerâmicas Reunidas Dom Bosco pegam mudas para plantar Sistema Agroflorestal (SAF) em suas residências. Foto divulgação

 

Como o projeto começou na época da pandemia, os estudantes fizeram pequenos SAFs em casa. Plantaram mudas em canteiros ou vasilhames em suas residências usando os princípios agroecológicos. O resultado da pesquisa mostrou que é possível alcançar uma produção eficiente.

 

Estamos numa comunidade do campo. Muitas vezes, não pensamos em todo o processo que se dá até que o alimento chegue à nossa mesa e quanta responsabilidade carrega o trabalhador do campo. Esse conhecimento pode levar maior qualidade de vida ao trabalhador do campo, mais saúde à população e ao meio ambiente”, conta a professora do CEF Cerâmicas Reunidas Dom Bosco, Lucinéa Martins Vieira.

 

Balão Mágico

 

A educação especial também foi destaque no 10º Circuito de Ciências das Escolas da Rede Pública de Ensino do Distrito Federal. Estudantes do Centro de Ensino Médio Paulo Freire, da Asa Norte, conquistaram a primeira colocação com o projeto Balão Mágico: a ludicidade no processo ensino-aprendizagem, na categoria Ciência e Diversidade.

 

Os alunos das 1ª e 2ª séries do ensino médio fizeram vários experimentos no laboratório da escola vivenciando outras possibilidades de como encher uma balão sem usar o ar dos pulmões. Eles observaram que por meio de reações químicas também é possível realizar essa ação e aprender sobre ciência.

 

A professora que orientou a turma no processo, Mislayne Mota, conta que tinha certeza que os estudantes sairiam vencedores do Circuito porque todos estavam empenhados no trabalho e foram protagonistas dessa experiência.

 

Governo do Distrito Federal