Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/10/21 às 15h50 - Atualizado em 29/10/21 às 16h36

Albergues inativos dão lugar a escolas infantis e centros de línguas

 

Prédios abandonados foram reformados e entregues à Secretaria de Educação

Catarina Lima, Agência Brasília | Edição: Renata Lu

 

 

Centro Interescolar de Línguas (CIL) de São Sebastião: 12 salas de aula com capacidade para atender 3.600 alunos nas aulas de inglês, francês e espanhol | Foto: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

 

Está pronta a reforma que transformou o prédio do antigo albergue de Planaltina em escola. A partir do próximo ano, a população das localidades do Pipiripau e Arapoanga, naquela região administrativa, poderá contar com um Centro de Educação Infantil (CEI) com 960 vagas. O custo da reforma foi de R$ 4,5 milhões, recursos de emendas parlamentares.

 

O prédio conta com 16 salas de aula, das quais 12 serão destinadas à educação infantil, que atenderá crianças de quatro e cinco anos, e quatro serão utilizadas pelo ensino fundamental I, para menores de seis a 10 anos. De acordo com a diretora do Centro de Educação Infantil, Dinamar Rodrigues, 90% da obra está concluída.

 

O espaço conta com quadra poliesportiva e área verde. O prédio do antigo albergue foi cedido à Secretaria de Educação do DF pela Terracap. A diretora informou que a regional de ensino está preparando o remanejamento dos alunos para a nova escola. “A demanda aqui é grande, principalmente na educação infantil”, disse.

 

São Sebastião

 

A cidade de São Sebastião também teve um albergue inativo transformado em escola. O prédio, que durante oito anos ficou abandonado, passou por uma reforma de R$ 1,5 milhão e hoje abriga o Centro Interescolar de Línguas (CIL), da cidade. O administrador da região, Alan Valim, comemora o fato de as crianças e adolescentes de São Sebastião não precisarem mais se deslocar para o Plano Piloto para estudar inglês, francês e espanhol.

 

Inaugurado no segundo semestre deste ano, o CIL conta com 12 salas com capacidade para atender 3.600 alunos. Por falta de professores para o turno matutino, a escola de línguas de São Sebastião funciona neste semestre apenas nos períodos da tarde e da noite. “A procura foi grande. No momento não temos vagas ociosas”, disse a coordenadora de Ensino da cidade, Luciana Pontes.

 

Além do CIL, o prédio do antigo albergue deu lugar à sede da regional de ensino da cidade, que até então não tinha onde funcionar. Também deverá ser construído ainda no local o Centro Educacional Zumbi dos Palmares, que terá 16 salas, divididas em seis blocos. O local será destinado ao ensino de crianças do 6º ao 9º ano.