Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/12/21 às 16h40 - Atualizado em 9/12/21 às 16h40

Lições de honestidade e zelo na sala de aula

Secretaria de Educação e MPDFT firmam parceria para implantar projeto anticorrupção nas escolas do DF

Ana Carolina Leal, Ascom/SEEDF

 

Hélvia Paranaguá e Fabiana Costa Barreto firmam acordo de cooperação técnica. Mary Leal, Ascom/SEEDF

 

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, assinou na manhã desta quinta-feira, 9, o acordo de cooperação que institui o programa NaMoral nas escolas públicas do DF. Braço do programa “Cidadão contra a corrupção”, promovido pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o NaMoral levará para as salas de aula dos ensinos fundamental e médio lições de probidade e respeito aos recursos públicos.

 

Lançar este projeto na Semana de Combate à Corrupção, segundo a secretária Hélvia Paranaguá, tem um significado ainda maior. “É mostrarmos para toda sociedade que estamos preocupados em criar bons valores nos nossos estudantes. Esta proposta tem o objetivo de transformar vidas.” Hélvia citou também um trecho bíblico que, para ela, reflete o espírito do NaMoral: “quero trazer à memória o que me pode dar esperança”.

 

A escolha do ambiente escolar não foi por acaso, uma vez que é o local oportuno para formar cidadãos conscientes, ativos e intolerantes à corrupção. “Quando incentivamos esses hábitos, estamos trabalhando para mudar nosso país. Apresentamos o NaMoral durante o  Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e encantamos a todos. Nosso objetivo é ampliá-lo e levá-lo para todo o Brasil”, frisou Hélvia Paranaguá.

 

Atividades desafiadoras

 

O conteúdo será trabalhado nas salas de aulas por meio da leitura, escrita, cálculo, além da formação de atitudes e valores. Proporcionar reflexões, despertar a integridade individual e coletiva, incentivar ações de cidadania e estimular a responsabilidade dos estudantes, são alguns objetivos do projeto.

 

Os alunos são desafiados a partir de ferramentas inovadoras. “Vários trabalhos e atividades são realizadas com os estudantes, buscando sempre trabalhar os conceitos da honestidade e integridade. Contamos também com alguns jogos de tabuleiro criados por estudantes voluntários e parceiros de universidades do Distrito Federal”, explicou a procuradora-geral de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Fabiana Costa Barreto.

 

Esta assinatura simboliza também a união do poder público em favor de mudanças fundamentais na sociedade. Na medida em que trabalham de braços dados para darem suporte e fazerem acontecer propostas tão fundamentais para todos”, ressaltou a procuradora-geral.

 

Mudanças no ambiente escolar

 

Em 2019, o Centro de Ensino do Lago Norte (Celan) participou da edição piloto do projeto e saiu vitorioso nos desafios que envolviam iniciativas como plantar árvores, recolher lixos e até mesmo a consolidação de um espaço, denominado de Praça da Honestidade.

 

Professora do Celan, Rebeca Santos participou do projeto e contou o quanto a escola mudou após a ação. “Tínhamos muitos problemas internos e alunos desmotivados. Quando iniciamos as atividades do NaMoral, observamos em pouco tempo uma mudança muito grande na conduta destas crianças. Foi muito especial e importante participarmos”, observou.

 

Rebeca Santos, do Celan: “Toda a escola se envolveu nas ações contra a corrupção”. Mary Leal, Ascom/SEEDF

 

O projeto era trabalhado com alunos do 8° e 9° anos do ensino fundamental, entretanto, segundo a professora, ao final toda a escola estava envolvida nas ações. “Foi muito gratificante ver todos empolgados em participar e fazer as mudanças acontecerem. Nossos alunos eram carentes de princípios e valores, mas muita coisa mudou”, reforça Rebeca.

 

O coordenador regional de ensino de Ceilândia, Carlos Ney Menezes, esteve presente no evento e já planeja os trabalhos que serão realizados nas unidades a região administrativa. “Todos os projetos que acrescentam e contribuem para a segurança e valores dos nossos alunos são bem-vindos. Já estamos analisando como vamos trabalhar estes conceitos e conteúdos nas nossas escolas. Ansiosos para vermos os resultados acontecerem”, afirmou.

 

Luta contra a corrupção

 

O programa “Cidadão Contra Corrupção”, iniciado por meio do projeto “NaMoral”, busca, entre outros objetivos, implementar o compromisso assumido pelo Brasil desde 2005, fomentar a participação ativa de pessoas e grupos na prevenção e luta contra a corrupção.