Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/05/22 às 13h57 - Atualizado em 9/05/22 às 14h01

Professores do DF são reconhecidos em prêmios nacionais

As premiações Professor Transformador e Sebrae de Educação Empreendedora valorizam a atuação dos docentes em projetos que estimulam comunidades e alunos

Catarina Loiola, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

 

Quero que, por meio da leitura, os alunos aprendam a combater o preconceito e a discriminação, na nossa comunidade e em qualquer outro lugar.” É assim que a professora de inglês Celiana Mota define o principal objetivo do projeto Desiderata, realizado no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 16 de Ceilândia. Ela é uma das 12 finalistas da segunda edição do Prêmio Professor Transformador, criado para promover e valorizar iniciativas na educação básica – ensinos fundamental I e II e médio.

 

A professora de inglês Celiana Mota, autora do projeto Desiderata, realizado no CEF 16 de Ceilândia, é uma das finalistas do 2º Prêmio Professor Transformador | Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

 

Celiana concorreu com mais de 350 inscrições pré-selecionadas por banca composta por especialistas, mestres e doutores em educação. As iniciativas escolhidas estão alinhadas à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e contemplam os quatro segmentos da Educação Básica, da educação infantil ao ensino médio.

 

Desenvolvido desde 2019, o projeto Desiderata tem como eixos os direitos humanos, a equidade de gênero e as relações étnico-raciais. A professora indica textos, livros, músicas e vídeos para os estudantes de turmas de 8º e 9º anos, durante todo o bimestre, sem nenhum vínculo a notas ou presenças.

 

Uma vez por mês, em um sábado, ocorrem encontros para debater as temáticas, com participação de professores e convidados. Durante a pandemia da covid-19, o projeto ocorreu por transmissão virtual.

 

Além de trazer temas atuais e de interesse coletivo, a professora busca fortalecer a autoestima dos alunos, entendendo a singularidade de cada um. “Toda a base é feita em sala de aula por meio das leituras. Nada é cobrado. Eles vão ler pelo simples prazer de ler e depois vão conversar sobre o livro, vídeo ou alguma música. Tento dar espaço a tudo que trabalha o lugar de fala, em que eles podem refletir sobre si mesmos e sobre como combater a discriminação na nossa comunidade”, explica.

 

O resultado são alunos mais comprometidos e um ambiente acolhedor. “Quando tinha uma situação de bullying ou outro preconceito, por exemplo, os alunos fingiam que não viam, não tentavam resolver. Quando eles entenderam que era errado, passaram a tentar acabar com isso na escola”, afirma.

 

Wellington Cruz, presidente do Instituto Significare e da Base2edu, entidades realizadoras do Prêmio Professor Transformador, afirma que os projetos estão alinhados com a BNCC e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

 

Com abordagens que coloquem o conteúdo em prática, podemos transpor o muro da escola para se comunicar com a comunidade, para que professor e a escola se envolvam no contexto, numa visão local e nacional. Vamos, então, preparar o aluno de hoje para que ele seja o cidadão sustentável de amanhã”, ressalta.

 

Incentivo empreendedor

 

O professor de língua portuguesa Eduardo Alves também recebeu a notícia de que seu projeto, a criação de um jornal online, foi reconhecido. Ele está entre os vencedores do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora. Além de ser um dos quatro ganhadores do troféu ouro, foi o destaque da premiação, o que lhe garantiu uma bolsa integral para o MBA EAD em Educação Empreendedora.

 

O projeto surgiu em meio à pandemia do novo coronavírus, em 2020, no Centro de Ensino Médio de Taguatinga Norte. A proposta era desenvolver um jornal com os alunos e trabalhar a produção textual, por isso ele dividiu funções semelhantes à de uma redação jornalística entre os alunos interessados. Há uma página com oportunidades de cursos e estágios, outra com as principais notícias da região e também uma aba para artigos de opinião sobre temas debatidos em sala.

Professor de língua portuguesa do Centro de Ensino Médio de Taguatinga Norte, Eduardo Alves é um dos vencedores do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora | Foto: Arquivo Pessoal

 

Alguns alunos ficaram superempolgados, dizendo que queriam se tornar jornalistas, queriam até um crachá do jornal”, conta. A publicação também foi selecionada para a Revista Práticas Inovadoras, do Programa Maria da Penha vai à Escola – Os desafios do ensino remoto, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

 

Vejo como resultado desse trabalho a construção da cidadania, por meio dos conceitos éticos aplicados junto ao conteúdo. A prática também ajudou os alunos a alcançarem notas altas em provas, como o Processo Seletivo de Avaliação Seriada (PAS). Para nós, educadores, não existe retorno maior do que ver os nossos alunos caminhando, crescendo, evoluindo”, comemora.

 

Premiações

 

O Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora tem como objetivo identificar e reconhecer as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil. A coordenadora de Políticas Públicas da instituição, Ana Emília de Andrade, alega que o propósito é reconhecer e prestigiar os professores.

 

Queremos dar publicidade ao trabalho grandioso que os nossos educadores têm nas escolas, por meio de iniciativas próprias e que não deixam a educação parar. Mesmo durante a pandemia, os professores fizeram inovações e trouxeram o envolvimento dos alunos. Isso faz toda diferença. O Sebrae entende que, com a educação empreendedora, estamos formando cidadãos com atitudes empreendedoras e isso vai repercutir na sociedade”, explica.

 

A entrega do Prêmio Professor Transformador e do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora, em cada categoria, será realizada na próxima semana, durante a Bett Brasil 2022, de 10 a 13 de maio, em São Paulo. Os finalistas, além de apresentarem seus projetos, receberão prêmios em dinheiro, troféus e reconhecimento nacional.

 

Segundo a diretora de conteúdo da Bett Brasil, Adriana Martinelli, o evento tem como objetivo conectar pessoas e fomentar as práticas de educação. “É um espaço propício para debates sobre novas aprendizagens e inovação. O objetivo é justamente transformar a educação, junto com os dois prêmios, que referenciam e valorizam os professores, essenciais nesse processo. Formatar a educação faz com que os professores busquem novas práticas e, ao mesmo tempo, dá luz a novos movimentos e possibilidades.

 

Com base nos eventos anteriores, a estimativa de circulação é de aproximadamente 5 mil pessoas por dia de evento.

 

Governo do Distrito Federal