Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/22 às 16h11 - Atualizado em 6/04/22 às 18h10

Imunização contra a covid-19 nas escolas começa pelo CED 01 da Estrutural

Ao todo, foram aplicadas 583 doses. Destas, 231 foram em crianças de 5 a 11 anos

Malcia Afonso, Ascom/SEEDF

 

Viva o SUS!”, comemorou Pedro, de 9 anos, aluno da Escola Classe 413 Sul, ao tomar a vacina no CED 01 da Estrutural. Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A vacinação contra a covid-19 nas escolas da rede pública de ensino começou neste sábado (19), às 9h, pelo Colégio Cívico Militar CED 01 da Estrutural com grande adesão da comunidade. A ação foi até as 17h.  Ao todo, foram aplicadas 583 doses. Destas, 231 foram em crianças de 5 a 11 anos, de acordo com dados da Secretaria de Saúde. A Secretaria de Educação colocou ônibus escolares rodando na Estrutural para levar as crianças ao local, acompanhadas dos pais ou responsáveis. Foram seis viagens ao longo do dia e, na escola, as crianças ainda brincaram no pula-pula.

 

Embora o público-alvo fossem crianças de 5 a 11 anos, a vacinação foi aberta a todos os estudantes da rede pública e moradores do DF. Pessoas que residem na Estrutural aproveitaram a oportunidade para receber a primeira, segunda ou terceira dose. Pela manhã, o início da ação foi acompanhado pelos secretários de Educação, Hélvia Paranaguá, e de Saúde, general Manoel Pafiadache.

 

Os secretários de Educação, Hélvia Paranaguá, e de Saúde, general Manoel Pafiadache, acompanharam o início da vacinação no CED 01 da Estrutural. Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

As crianças do Distrito Federal já vinham sendo vacinadas, mas nós decidimos [secretarias de Educação e de Saúde] ampliar para as escolas pensando naqueles pais que trabalham durante a semana”, disse a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá. “A escola também é um espaço mais lúdico, com o qual a criança já está familiarizada e pode brincar e interagir com os colegas”, completou.

 

Hélvia Paranaguá esclareceu ainda que a opção pelo sábado e não por um dia normal de aula também foi em razão do tempo de 20 minutos que a criança teria de esperar para retornar à sala, conforme as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A criança fora da aula num momento em que ela tem de recompor as aprendizagens seria ruim”, afirmou.

 

Próxima escola

 

As secretarias de Educação e de Saúde irão analisar os resultados da ação deste sábado para decidirem como vai prosseguir a vacinação itinerante nas escolas.

 

O Secretário da Saúde, general Manoel Pafiadache, reiterou que os esforços da pasta estão concentrados em conseguir expandir cada vez mais a vacinação. “A ação extramuro é quando sai de dentro da Unidade Básica de Saúde, quando a gente leva a vacina para perto da população. A gente vai fazer com que possa abranger o máximo de vacinados.

 

Ele ressaltou outras ações do Governo do Distrito Federal para ampliar a cobertura vacinal. “Temos postos noturnos, drive-thru, e locais em funcionamento aos sábados e domingos”, acrescentou.

 

Viva o SUS

 

Pedro, de 9 anos, aluno da Escola Classe 413 Sul, fez questão de dizer que queria muito tomar a vacina, não precisava ninguém mandar. “Não doeu e é importante se proteger contra a covid-19”, garantiu. E comemorou: “Viva o SUS!”.

 

A mãe, Clara Nobre, já havia tomado as três doses e agradeceu a oportunidade de trazer o filho. “Muito bom o mutirão no sábado, porque assim não tira a criança da sala de aula e nem a gente do trabalho na semana.

 

Os moradores também aproveitaram a chance. “Era pra eu ter tomado minha terceira dose no Guará e não fui por conta da distância. Fiquei esperando e daí soube pela televisão que hoje teria vacina aqui, foi um alívio”, contou a dona de casa Geronilza Brito de Souza.

 

CED 01

 

Gostei de ser aqui na escola”, disse Natanael da Silva, aluno do 7º ano do CED 01, que foi ao local tomar a segunda dose munido da Caderneta de Saúde do Adolescente, do Ministério da Saúde. O adolescente aproveitou para elogiar a Gestão Compartilhada com a Secretaria de Segurança Pública, iniciada em 2019. “Se não fosse isso, seria sem regra e é preciso ter regra. Aqui não tem bagunça”, comentou.

 

A diretora do CED 01 da Estrutural, Estela Accioly, recebeu a comunidade e os estudantes com alegria, entre eles, Natanael da Silva, do 7º ano. Foto: Álvaro Henrique, Ascom/SEEDF

 

A região da Estrutural tem 6 mil estudantes. Destes, 1,8 mil estudam no CED 1. A diretora, Estela Accioly, destacou o papel da unidade de ensino na região. “Por sermos um colégio cívico-militar e de muita importância para a comunidade, aceitamos com muita alegria sermos polo do projeto, a primeira escola a abrir as portas para a vacinação.

 

Vacinação no CED 01 da Estrutural

Governo do Distrito Federal